segunda-feira, 30 de setembro de 2013

Governos se desresponsabilizam e produzem 300.000 analfabetos por ano

Pela primeira vez em quinze anos, a taxa de analfabetismo cresceu no Brasil. É o que mostra a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad), realizada em 2012 e divulgada nesta sexta-feira pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A taxa de pessoas de 15 anos de idade ou mais que não sabem ler nem escrever subiu de 8,6% em 2011 para 8,7% no ano passado. Isso significa que no período de um ano, o país "ganhou" 300.000 analfabetos, totalizando 13,2 milhões de brasileiros. A tendência de queda, que se mantinha desde 1997, estacionou, despertando a atenção dos pesquisadores do IBGE, que agora se debruçam em busca de explicações. "Ainda estamos verificando o que levou a essa variação, já que o porcentual vinha caindo há tanto tempo", diz Maria Lucia Vieira, coordenadora da pesquisa e gerente do IBGE.

Analfabetismo – Série histórica (%)*

* levantamento realizado somente na área urbana

continue lendo:
http://veja.abril.com.br/noticia/educacao/brasil-ganha-300000-analfabetos-em-apenas-um-ano

Greve na rede estadual e o desafio de atender a justiça

MARCIO CAMILO
DA REDAÇÃO
O Sindicato dos Trabalhadores da Educação em Mato Grosso (Sintep) não concorda com a decisão do Tribunal de Justiça de manter 50% do efetivo dos professores em sala de aula e a greve a categoria, completa 49 dias nesta segunda-feira (30), será mantida.

"No aspecto da logística, isso é inviável", afirmou o presidente do sindicato, Henrique Lopes. 

No fim de semana passado, a desembargadora Maria Erotides Kneipp decidiu que 50% dos professores teriam que voltar ao trabalho. A decisão foi anunciada, após análise dos embargos de declaração interposto pelo Sintep. 

Na decisão, a magistrada deu prazo de 72 horas para que os professores cumpram a determinação. 

“Gostaria de entender como isso [a volta de 50% do efetivo ao trabalho] iria funcionar”, questionou Henrique Lopes.

continue lendo:
http://www.midianews.com.br/conteudo.php?sid=3&cid=174319

Eleição de Gestores: LDB e ECA atualizados

Caros colegas,

a Lei de Diretrizes e Bases da Educação - LDB e a Lei que dispõe sobre  o Estatuto da Criança e do Adolescente - ECA, estão entre as normas exigidas no Edital de Eleição de Gestores de Cuiabá. 

Como contribuição para os estudos, clique LDB e ECA para obter essas legislações atualizadas.

PNE: texto do Senado destina MENOS recursos para educação pública

A sutileza da mudança está na ordem das palavras. Em vez de obrigar o governo federal a investir em educação pública, o texto do PNE (Plano Nacional da Educação) aprovado no Senado exige investimento público em educação.  De um modo geral, a troca de alguns trechos fez com que o Estado pudesse incluir no orçamento da educação verbas de programas que incluem parcerias com entidades privadas.
O texto ainda precisa passar por um longo caminho, mas especialistas temem que a nova redação tire dinheiro das escolas e instituições públicas de ensino.
"Na verdade, o que se tentou no Senado foi reduzir a participação da União no financiamento da educação", afirma o senador Álvaro Dias (PSDB-PR), que é o relator do projeto na CE (Comissão de Educação), próxima etapa do texto antes de ser submetido ao plenário.
continue lendo:
http://educacao.uol.com.br/noticias/2013/09/30/pne-texto-do-senado-reduz-investimento-em-educacao-publica.htm

CNTE se posiciona sobre Relatório PNE aprovado no Senado

Sobre a aprovação do parecer do senador Vital do Rêgo ao PLC nº 103/12, que trata do Plano Nacional de Educação, em sessão da Comissão de Constituição e Justiça do Senado, na presente data, a CNTE esclarece o seguinte: 

1. Na qualidade de representante de mais de 3 milhões de trabalhadores da escola pública brasileira, a CNTE, historicamente, sempre atuou junto aos órgãos e instâncias do Poder Público com vi stas a defender não apenas os interesses de sua categoria, mas sobretudo o direito da sociedade brasileira à educação pública, universal, democrática, laica e de qualidade socialmente referenciada. 

2. Sob esta prerrogativa, a CNTE interveio junto ao MEC, no dia 12 de setembro de 2013, com o objetivo de viabilizar as estratégias referentes ao Custo Aluno Qualidade. Foram, à época, negociadas três propostas de redação que deram origem às estratégias 20.6, 20.7 e 20.8 do parecer da CCJ. Dentre os avanços alcançados pela intervenção da CNTE, destaca -se o comprometimento do MEC em implantar o CAQi em três anos de vigência do PNE, e o CAQ no oitavo ano de vigência da Lei. 

3. Sobre o art. 5º, § 5º do projeto de PNE, que trata das exceções da meta 20 ao investimento público na educação pública, a CNTE apresentou emenda para corrigir a redação aprovada na Comissão de Assuntos Econômicos do Senado, que excedia, indiscriminadamente, o acordo firmado entre o MEC e entidades da sociedade prevendo o cômputo dos investimentos p úblicos em ações do Governo que já se encontram em andamento e que, se cessadas, poderiam causar inúmeros prejuízos aos que estão sendo atendidos por elas. Posteriormente, o MEC inseriu no rol das exceções a creche e a educação especial – esta última na perspectiva de aproximar o texto do Senado ao da Câmara – e, sem qualquer comunicado às entidades, inseriu também a pré-escola, com que a CNTE não concorda. Ademais, o MEC deixou de indicar no texto da meta 20 a preferência do investimento público para a educação pública, ressalvadas as exceções devidamente listadas no artigo da Lei. 


leia mais:
http://www.campanhaeducacao.org.br/?idn=1201

sábado, 28 de setembro de 2013

Justiça manda que 50% dos professores voltem ao trabalho

MARCIO CAMILO
DA REDAÇÃO
A Justiça determinou que 50% do efetivo dos professores da rede estadual voltem ao trabalho. A decisão é da desembargadora Maria Erotides Kneipp de Macedo, conforme análise dos embargos de declaração interposto pelo Sindicato dos Trabalhadores do Ensino Público da Educação (Sintep-MT). 

Na decisão, a magistrada deu prazo de 72 horas para que os professores cumpram a determinação.

Ela acolheu parcialmente o recurso do Sintep, que contestou a decisão do desembargador Marcos Machado, que declarou a “greve abusiva”.

Nos embargos de declaração, o Sintep contesta que o desembargador, em sua decisão, não definiu a porcentagem da greve. 

Com base nisso, a desembargadora Erotides determinou que 50% dos professores retornem aos postos de trabalho. Atualmente, a greve conta com mais 90% de adesão em todo o Estado de Mato Grosso. 

A decisão de 72 horas passa a valer assim que os professores forem notificados, via Sintep. 

leia mais:
http://www.midianews.com.br/conteudo.php?sid=3&cid=174143

Sancionada Lei que exige Professor com título de Doutor em Universidades

A presidente Dilma Rousseff sancionou, com vetos, o projeto de lei de conversão aprovado pelo Congresso no lugar da Medida Provisória 614, informa o Diário Oficial da União (DOU) desta quarta-feira. Com a sanção, a MP, editada em abril para incluir a exigência de título de doutor entre os requisitos de seleção e contratação de professores para universidades federais, se transformou na Lei 12.863.

O texto modifica a Lei 12.772/2012, que dispõe sobre o Plano de Carreiras e Cargos do Magistério Federal.

Foram vetados três artigos do projeto que alterariam a Lei 9.532/1997, que trata de assunto diferente. Se fossem mantidos, tais artigos ampliariam "inadequadamente a possibilidade, excepcional, de remuneração de dirigentes de associações assistenciais ou fundações sem fins lucrativos, ampliando, inclusive, as hipóteses de imunidade e isenção tributárias", explica a presidente na mensagem ao Congresso, também publicada nesta quarta-feira.

Também recaíram vetos sobre a parte do projeto que altera a Lei 12.772/2012. A presidente não concordou, por exemplo, em dar às universidades poder discricionário para contratar docentes em classe ou nível não inicial da carreira no caso professores vindos de outras instituições federais.

Na versão aprovada pelo Congresso, as universidades poderiam encaixá-los, a seu critério, em classe e nível em que já estavam na universidade de origem e, portanto, mais avançados na carreira, o que foi vetado. "Os dispositivos violam os princípios da isonomia e da impessoalidade", previstos na Constituição Federal para as carreiras públicas, justifica Dilma Rousseff na mensagem ao Congresso.
leia mais:
http://economia.uol.com.br/noticias/valor-online/2013/09/25/dilma-sanciona-lei-que-exige-doutorado-para-professores-de-federais.htm

Analfabetismo: uma vergonha estancada

Cristiane Capuchinho
Do UOL, em São Paulo

O combate ao analfabetismo adulto no Brasil precisa de política pública de mobilização, afirmam especialistas consultados pelo UOL. Dados divulgados nesta sexta-feira (27) pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) mostram que o índice de analfabetos do país parou de cair pela primeira vez em 15 anos: 8,5% da população com mais de 15 anos não sabe ler e escrever.  
A estagnação não foi surpresa para quem acompanha o assunto. "Nós vemos o quanto as salas de aula de EJA [Educação de Jovens e Adultos] estão sendo fechadas nas redes municipais e estaduais", afirma Sonia Couto, pesquisadora e coordenadora do IFP (Instituto Paulo Freire). 
Já vi divulgação de curso com uma faixa em frente à escola dizendo que há vagas para supletivo. É preciso que alguém leia para saber disso. Por outro lado, há experiências de divulgação com carro de som com ótimos resultados
Sonia Couto, coordenadora do IFP
A pesquisadora critica a forma como são ofertadas as salas de EJA e afirma faltar vontade política para reduzir o número de analfabetos. "O adulto tem problemas de horário de trabalho, problemas na família. O curso começa às 19h e termina às 23h, ele nem consegue chegar às 19h e nem ficar até as 23h, porque está cansado", reclama. 
Para ela, as redes precisam criar programas que atendam essa população conforme suas necessidades. Os cursos deveriam ter flexibilidade de horário, práticas didáticas adequadas para adultos e divulgação adequada. 
"O adulto não é obrigado por lei a voltar para a escola. Teria que fazer um programa de engajamento, de mobilização destes adultos", concorda Priscila Cruz, de diretora-executiva do Movimento Todos pela Educação.
"A queda do analfabetismo devia ser muito rigorosa no Brasil", afirma Priscila. "Em relação aos outros países, a gente está ficando cada vez mais para trás."
http://educacao.uol.com.br/noticias/2013/09/27/combate-ao-analfabetismo-adulto-precisa-de-politica-publica-especifica.htm

Número de analfabetos e crianças fora da sala de aula cresce em MT

Carolina HollandDo G1 MT
O número de analfabetos em Mato Grosso aumentou em 2012 em relação ao ano anterior, passando de 7,4% para 8,1%, entre as pessoas com 15 anos ou acima dessa idade. O percentual corresponde a 193,6 mil pessoas que nessa faixa etária no estado não sabem ler e escrever. Os dados fazem parte da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad), divulgada nesta sexta-feira (27) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).
As taxas de escolarização entre todas as idades também caíram em Mato Grosso na comparação entre os anos de 2011 e 2012. Entre as que crianças que têm 4 ou 5 anos de idade, os índices (daquelas que estão estudando) caiu de 74,1% para 70,8%, num universo de 98 mil. Na faixa etária de 6 a 14 anos, diminuiu de 98,5% para 97,7% de 511 mil crianças.
Os índices entre os 176 mil adolescentes de 15 a 17 anos que frequentam a escola também caíram, passando de 85,1% para 80,9%. Houve queda ainda no percentual das 380 mil pessoas de 18 a 24 anos que estudam, de 31,8% para 28,9%.
A taxa de escolarização no estado entre os que têm 25 anos ou mais, ou seja, 1.835 milhão de indivíduos, ficou em 5% em 2012, enquanto em 2011 era de 5,6%.
leia mais:
http://g1.globo.com/mato-grosso/noticia/2013/09/numero-de-analfabetos-e-criancas-fora-da-sala-de-aula-cresce-em-mt.html

sexta-feira, 27 de setembro de 2013

Em reestreia no Twitter, presidente Dilma escorrega no português

Karina Yamamoto*
Do UOL, em São Paulo
Esta manhã de sexta-feira (27) foi agitada para Dilma (Rousseff, a presidente) e Dilma (Bolada, perfil humorístico da presidente).
Para marcar a reestreia da primeira (operfil oficial da presidente) no Twitter, a"outra" (desculpe-nos, diva Bolada, mas a original tem suas prerrogativas) conduziu uma entrevista com a presidente. Foi um evento que repercutiu na mídia. Aqui no UOL é assunto da Home, com a matéria "Dilma volta ao Twitter com entrevista a perfil fake e lança Instagram e Facebook".
A presidente escorregou no português ora se esquecendo de usar avírgula, ora se excedendo no emprego desse que é um dos sinais de pontuação mais difíceis de usar seguindo a "norma culta" (é assim que chamamos a aplicação estrita das regras ortográficas e gramaticais).
Mas caiu na rede... é peixe! E o UOL Educação puxou a lupa do bolso para apontar os erros (quem nunca?) e mostrar como a linguagem usada no dia a dia (coloquial) pode atrapalhar qualquer mortal na hora de juntar letrinhas. Um alerta: em caso de escrever redações de vestibular ou textos oficiais, nada de deslizes. O que vale é a cartilha das regras.
Veja os tuítes:
http://educacao.uol.com.br/noticias/2013/09/27/em-reestreia-no-twitter-presidente-dilma-escorrega-no-portugues.htm

INEP lança cartilha com instruções para aplicação do SAEB

O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) lançou nesta sexta–feira, 27, em Salvador, a cartilha on-line com instruções para aplicação das provas do Sistema de Avaliação da Educação Básica (Saeb) este ano. Serão avaliados mais de 7,9 milhões de estudantes entre 11 e 21 de novembro próximo, em todas as unidades da Federação.
O documento, que será distribuído nas escolas, destaca os objetivos das aferições que compõem o sistema, além de apresentar dados e indicadores para compreensão dos fatores que influenciam o desempenho dos estudantes.
A cartilha foi lançada durante o encontro de alinhamento e capacitação dos coordenadores estaduais da avaliação, que se estende até domingo, 29, na capital baiana. Durante o encontro, que reúne cerca de 200 participantes, são abordados temas como a apresentação do Saeb, histórico e logística de aplicação das provas do sistema. "Estamos avaliando quase oito milhões de estudantes e, a partir dos resultados, poderemos dialogar com as redes na busca pela melhoria constante da qualidade do ensino brasileiro", destacou o presidente do Inep, Luiz Cláudio Costa.
O Saeb é composto por três avaliações externas em larga escala que aferem itens como qualidade, equidade e eficiência da educação brasileira. A Avaliação Nacional da Educação Básica (Aneb) e a Prova Brasil, também conhecida como Avaliação Nacional do Rendimento Escolar (Anresc), são realizadas a cada dois anos. Já a recém-criada Avaliação Nacional de Alfabetização (ANA) terá aplicação anual.
Na Aneb, são aplicadas provas de leitura e matemática e questionários a uma amostra de estudantes do quinto e do nono anos (quarta e oitava séries) do ensino fundamental regular e do terceiro ano do ensino médio das redes pública e particular.
Da Prova Brasil participam todas as escolas com pelo menos 20 estudantes matriculados em turmas do quinto e do nono anos (quarta e oitava séries) do ensino fundamental regular, matriculados em escolas públicas das zonas urbana e rural. Serão aplicadas provas de leitura, de matemática e questionários.
Ainda este ano, serão aplicadas, em caráter experimental, provas de ciências a estudantes do nono ano do ensino fundamental e do terceiro ano do ensino médio.
A ANA contará com provas de leitura e escrita e de matemática. Serão avaliados estudantes matriculados no terceiro ano do ensino fundamental em escolas públicas das zonas urbana e rural que estejam organizadas no regime de nove anos. O exame será aplicado em todas as turmas regulares e em uma amostra de turmas multisseriadas.
Assessoria de Comunicação Social do Inep

http://portal.inep.gov.br/visualizar/-/asset_publisher/6AhJ/content/cartilha-orienta-avaliacao-de-8-milhoes-de-estudantes?redirect=http%3a%2f%2fportal.inep.gov.br%2f

Deputado apresenta indicação para regulamentação de recursos dos royalties para a educação

ALLINE MARQUES/Assessoria de Gabinete 

Mario Friedlander/ALMT
Dep. Alexandre César - PT
O deputado estadual Alexandre César (PT) apresentou indicação ao governador Silval Barbosa (PMDB) para que ele envie à Assembleia Legislativa projeto de lei referente as receitas estaduais relativas aos royalties decorrentes da exploração do petróleo e gás natural com a destinação dos percentuais de 75% para a Educação e 25% para a Saúde.

A indicação foi aprovada por unanimidade pelos deputados e a proposta já conta com o apoio do líder do governo, deputado Jota Barreto (PR), que durante audiência pública com setor da educação se comprometeu a procurar o governador para agilizar o encaminhamento da lei, que colocará Mato Grosso como estado prioritário para recebimento dos recursos.

O parlamentar ressaltou que a presidenta Dilma Roussef (PT) sancionou a Lei 12.858 que destina para as áreas de educação e saúde a participação no resultado ou da compensação financeira pela exploração de petróleo e gás natural com o objetivo de implementar os avanços necessários para o desenvolvimento do Brasil.

Porém, a legislação destaca que as receitas serão distribuídas de forma prioritária aos estados e municípios que determinarem a aplicação da respectiva parcela de receitas de royalties e de participação especial com a mesma destinação exclusiva. Junto com a indicação, o deputado encaminhou ao governador a minuta da lei já sancionada pelo estado de Pernambuco que se antecipou ao Congresso Nacional. Além de outros cinco municípios que já saíram na frente com a criação de legislação específica.

De acordo com o petista, a expectativa é de que em até 15 anos, os rendimentos obtidos pela participação no resultado ou compensação financeira pela exploração de petróleo e gás natural, sejam suficientes para cumprir as metas do PNE (Plano Nacional de Educação) e da saúde.

"Essa riqueza finita, proveniente de recursos naturais, deve ser transformada em algo perene, tornando irreversível a diminuição da desigualdade, a melhoria das condições de vida dos profissionais das áreas da educação e saúde, dando-lhes melhores condições de trabalho, salários dignos e consequente melhoria na qualidade do ensino e de atendimento aqueles que utilizam a educação e a saúde pública", defendeu.


http://www.al.mt.gov.br/TNX/conteudo.php?sid=277&cid=38609&parent=0

Aluna de Primavera do Leste obtém primeiro lugar no "Câmara Mirim"


A comissão julgadora do Câmara Mirim 2013 concluiu a análise dos 414 projetos de lei enviados por crianças de todo o Brasil. Os três vencedores são os estudantes Maila Gabriela Miranda dos Santos, Eduardo Presswell Sandoval e Ana Clara Paim Silva. Eles estarão em Brasília para defender seus projetos na tribuna do Plenário Ulysses Guimarães no dia 22 de outubro.
Meio ambiente
Classificada em primeiro lugar, Maila Gabriela é aluna do 9º ano do Centro Integrado de Ensino Cremilda Oliveira Viana, escola pública da cidade mato-grossense de Primavera do Leste. Ela apresentou projeto relacionado ao meio ambiente.
Pela proposta, o governo federal deverá ser responsável pela arborização das casas do programa Minha Casa, Minha Vida. "Esse projeto de arborização visa melhorias na qualidade de vida dos futuros moradores, por contribuir para amenizar os efeitos das altas temperaturas, além de deixar o ambiente mais bonito e agradável", justificou Maila.
Cinema
Eduardo e Ana Clara obtiveram o segundo e terceiro lugares, respectivamente. Os dois alunos mineiros, da cidade de Belo Horizonte, estudam no Colégio Bernoulli, o mesmo de Gabriel Garcia Gomes Salles Teixeira, vencedor do Câmara Mirim 2012.
Eduardo elaborou um projeto que obriga os cinemas de todo o País a dedicar uma tarde por mês à exibição de filmes para crianças carentes, previamente cadastradas. Uma parceria com o governo garantirá a distribuição de ingressos para a sessão, além do fornecimento de transporte e acompanhamento de servidores das secretarias de Educação.
Açúcar
Já o projeto de Ana Clara prevê que os produtores de alimentos passem a informar no rótulo a quantidade de açúcar existente nos produtos. Ana Clara argumentou, em sua justificativa, que "essa é uma tentativa de avisar para a população o quanto há de açúcar nos alimentos, para que ela perceba que alguns não devem ser ingeridos em grandes quantidades, sob risco de causarem problemas sérios de saúde."
Deputados mirins
O Câmara Mirim é um programa educativo promovido pelo portal infantil Plenarinho que simula uma sessão ordinária da Câmara dos Deputados. No dia do evento, alunos do ensino fundamental fazem o papel de deputados mirins e apresentam, debatem e votam três projetos de lei selecionados.
Da Redação - RCA

http://www2.camara.leg.br/camaranoticias/noticias/EDUCACAO-E-CULTURA/453199-PROGRAMA-CAMARA-MIRIM-DIVULGA-PROJETOS-SELECIONADOS-PARA-DEBATE-NO-PLENARIO.html

Senado aprova projeto que facilita reconhecimento de diploma estrangeiro

A Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional do Senado aprovou nesta quinta-feira (26) o projeto que prevê o reconhecimento automático, no Brasil, de diplomas de cursos presenciais de graduação, mestrado ou doutorado expedidos por instituições de educação superior estrangeiras de reconhecida excelência acadêmica. Para tanto, deverá ser divulgada pelo poder público, periodicamente, a lista de cursos a serem abrangidos.
Segundo a LDB (Lei de Diretrizes e Bases da Educação (LDB), o reconhecimento dos diplomas dos brasileiros que estudaram no exterior compete às universidades. Para o autor do projeto, senador Roberto Requião (PMDB-PR), os procedimentos adotados pelas diferentes instituições de ensino superior têm variado muito.
"São frequentes os relatos de processos excessivamente caros, pouco transparentes, demorados e arbitrários, que resultam, não raro, em prejuízo a estudantes de destaque e na negativa do reconhecimento ou revalidação de estudos realizados em cursos de universidades de excelência acadêmica internacionalmente reconhecida", argumenta Requião, na justificação do projeto.
Segundo Requião, o objetivo da proposta é agilizar e desburocratizar um sistema que penaliza aqueles que fazem cursos de ponta, em instituições de excelência comprovada. O senador citou o exemplo de Portugal, que admite o reconhecimento automático dos diplomas de pós-graduação brasileiros emitidos por cursos com nota 6 ou 7 da Fundação Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes).
O relator na CRE, senador Cristovam Buarque (PDT-DF), defendeu a aprovação do projeto. "A revalidação dos diplomas é uma medida há muito aguardada por grande número de estudantes brasileiros que buscam diversificar sua formação profissional, acadêmica e cultural", observou.
Cristovam aceitou emenda do senador Vital do Rêgo (PMDB-PB) estabelecendo norma para que os documentos sejam submetidos à análise no âmbito administrativo, bem como prazo para a duração do processo de revalidação, de 90 dias úteis. A matéria vai à Comissão de Educação, Cultura e Esporte, em decisão terminativa.
http://educacao.uol.com.br/noticias/2013/09/26/senado-aprova-projeto-que-facilita-reconhecimento-de-diploma-estrangeiro.htm

Escolas públicas de Cuiabá não têm alvará de prevenção contra incêndio

De acordo com o Corpo de Bombeiros de Cuiabá, 100% das 168 unidades de ensino da rede estadual e municipal da capital mato-grossense não possuem Alvará de Prevenção Contra Incêndio e Pânico, ou seja, não possuem um sistema adequado com as normas de segurança. Entretanto, a Secretaria Estadual de Educação (Seduc) informa que 10% dessas escolas possuem um projeto de segurança e que gradativamente todas deverão se adequar a lei estadual de Segurança Contra Incêndio e Pânico, aprovada em 2005. Os principais itens da norma são extintores, sistema de detecção e alarme de incêndio, sistema de comunicação de emergência e sinalização de segurança.
Em uma das escolas estaduais de Cuiabá, cujo prédio foi construído há 39 anos, e é ocupado atualmente por 2.100 alunos, os extintores, hidrantes e sinalizadores não estão instalados de forma adequada com a legislação. Também não há uma saída de emergência correta na escola, conforme os bombeiros. “O local de abertura é insuficiente para a quantidade de alunos e pessoas que ficam na edificação, o que pode comprometer um processo de evacuação”, pontou o coronel do Corpo de Bombeiros, Júlio Cesar Rodrigues, após visitar a unidade escolar.
leia mais:
http://g1.globo.com/mato-grosso/noticia/2013/09/escolas-publicas-de-cuiaba-nao-tem-alvara-de-prevencao-contra-incendio.html

Rede Estadual: a greve continua

Os trabalhadores da rede estadual de ensino recusaram, nesta quinta-feira (26), a proposta encaminhada pelo governo de Mato Grosso e a greve da categoria, que completou 46 dias, vai continuar por tempo indeterminado. Durante a tarde, centenas de profissionais fizeram nova passeata pela avenida Historiador Rubens de Mendonça (CPA) até o Centro Político Administrativo, em Cuiabá, finalizando a manifestação em frente à Secretaria de Educação (Seduc).
A proposta enviada pelo executivo estadual era a mesma que tinha sido encaminhada aos grevistas na semana passada, e recusada por unanimidade pela categoria. Entre as reivindicações, os grevistas querem dobrar o poder de compra em 7 anos e pagamento integral da hora-atividade. O governo propôs dobrar o salário dos professores em 10 anos e pagar a hora-atividade de forma parcelada, totalizando em três anos.
Um dos motivos da dupla recusa à mesma proposta do estado, segundo o Sindicato dos Trabalhadores no Ensino Público de Mato Grosso (Sintep-MT), é que a classe exige que o aumento salarial comece a valer a partir de 2013, e não no próximo ano, como quer o governo. Os profissionais também discordam do parcelamento da hora-atividade.
leia mais:
http://g1.globo.com/mato-grosso/noticia/2013/09/professores-de-mt-voltam-recusar-proposta-do-governo-e-greve-continua.html

quinta-feira, 26 de setembro de 2013

Trabalhadores da educação fazem passeata nesta quinta-feira

Professores e trabalhadores da rede estadual realizam passeata nesta quinta-feira (26), a partir das 15 horas. O objetivo é pressionar para que o Governo apresente logo a contraproposta que foi enviada pela categoria, no que diz respeito ao reajuste salarial. A concentração do ato será no acampamento dos professores, instalado no CPA, no entorno do Tribunal Regional do Trabalho (TRT).

Na última negociação, o Governo propôs o reajuste salarial a partir de maio de 2014. Os professores reivindicam que esse aumento vigore ainda neste ano. 
O ato público marcará o 45º dia de greve na rede estadual. "

Na última segunda-feira (23) o Sindicato dos Trabalhadores do Ensino Público de Mato Grosso (Sintep/MT) protocolaram a contraproposta da categoria no Palácio Paiaguás. A redação de uma contraproposta foi aprovada em assembleia geral realizada na sexta-feira (20) e conforme deliberação acatou parcialmente o documento. 

Outro ponto contestado é o parcelamento da hora-atividade dos professores interinos, que não recebem pelo trabalho extra que realizam em casa, como a correção de provas e a preparação de aula. 

leia mais:
http://www.midianews.com.br/conteudo.php?sid=3&cid=173911

Advogado espalha faixas em Maringá para combater vícios de linguagem

Algumas ideias aparecem repentinamente, sem você esperar por elas. Foi assim que a proposta de corrigir vícios de linguagem por meio de faixas espalhadas nos semáforos de Maringá (PR) surgiu, conta o advogado Lutero de Paiva Pereira.
A iniciativa surgiu enquanto Pereira jogava uma partida de golfe. "[O golfe] é um esporte que possibilita alguns momentos de reflexão. Em um deles [dos jogos] fiquei pensando nos vícios de linguagem que existem no ambiente do jogo. Voltei pra casa e pensei mais sobre os vícios que estão presentes em nossa realidade", explica o advogado. "Logo tive a ideia. Conversei com um companheiro de equipe da minha empresa e em uma semana já estava circulando a primeira faixa com correções de algumas palavras."
O objetivo do projeto Sinal do Saber, segundo o autor, é contribuir com o "desenvolvimento cultural da cidade".

Cruzamentos

"Por que não usar o semáforo para divulgar o conhecimento melhor da nossa gramática?", diz o idealizador da iniciativa que faz parte das ruas da cidade desde julho deste ano. "O sinaleiro é utilizado muito por artistas para suas artes."
O critério para a escolha dos semáforos é o fluxo de pessoas, explica o também advogado Tobias Marini de Salles Luz, que ajuda a coordenar o projeto. "Fazemos um rodízio entre os principais cruzamentos da cidade. A divulgação varia entre 4h e 8h por dia, dependendo da data e da ocasião, como promoções no comércio, feriados etc", conclui.
Depois de exibidas nos semáforos, as faixas são expostas em parques e praças da cidade. O conteúdo delas é feito exclusivamente por Pereira. "Mas eu não me valho apenas dos meus conhecimentos. Consulto a gramática já produzida e também alguns sites especializados", diz o autor do projeto.
"A iniciativa está sendo bem aceita pela população. Já temos 12 faixas espalhadas pela cidade, mas não quero só ficar nos vícios de linguagem. O próximo passo será espalhar também conteúdos com informações etimológicas das palavras, contextos históricos, geopolíticos", destaca Pereira.
De acordo com o idealizador, outras cidades já mostraram interesse em replicar a ideia, como Curitiba (PR), Cuiabá (MT) e Presidente Prudente (SP).
veja os erros: http://educacao.uol.com.br/noticias/2013/09/25/advogado-espalha-faixas-em-maringa-para-combater-vicios-de-linguagem.htm#fotoNav=6

Programa Técnicas Didáticas: para assistir e aprender

O programa Técnicas Didáticas está com novos vídeos no ar. São aulas para apoiar os professores em pontos muito práticos do dia a dia da sala de aula. Os oito novos vídeos mostram situações reais nas quais a aplicação de determinadas técnicas facilitam o aprendizado dos alunos.
O Técnicas Didáticas é o programa de formação de professores oferecido pela Fundação Lemann, que tem foco na gestão e prática de sala de aula. O curso e workshops do programa já formaram mais de 1000 professores, gestores e diretores de São Paulo, Paraná, Rio de Janeiro e Minas Gerais, e agora com as vídeo aulas pretende chegar a um número muito maior de educadores.
clique abaixo e veja vários vídeos

quarta-feira, 25 de setembro de 2013

SME divulga inscrições deferidas e indeferidas das eleições para gestores


A Secretaria Municipal de Educação de Cuiabá 
divulga a relação dos candidatos com inscrições 
deferidas e indeferidas nas Eleições 2013 
para gestores de creches e escolas da rede municipal.
Serão escolhidos os diretores de escolas 
e creches, coordenadores pedagógicos 
e secretários escolares.
A eleição será realizada no dia 29 de novembro, 
das 6h30 às 18h30 nas creches, das 8h às 18h 
nas escolas com dois turnos de funcionamento 
e das 8h às 20h nas escolas com três turnos.

O resultado final da eleição será divulgado no dia 6 de dezembro, no mural 
do saguão de entrada da Secretaria Municipal de Educação. 

Clique aqui para ver as inscrições deferidas e indeferidas.


Fonte:  Rosane Brandão  3645-6578
http://www.cuiaba.mt.gov.br/noticias?id=7517

Senado: CCJ aprova Projeto de Lei do Plano Nacional de Educação - PNE

O projeto de lei que institui o Plano Nacional de Educação (PNE) foi aprovado na manhã desta quarta-feira, 25, pela Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) do Senado Federal. Agora, o projeto, que tramita naquela casa do Congresso Nacional como PLC 103/2012, será analisado pela Comissão de Educação, Cultura e Esporte. Em maio, o texto ganhou o aval da Comissão de Assuntos Econômicos.

O PNE determina a destinação a políticas educacionais de pelo menos 10% do produto interno bruto (PIB). Além disso, estabelece uma série de metas a serem cumpridas nos próximos dez anos. Destacam-se entre elas a erradicação do analfabetismo, a oferta de educação em tempo integral e o estabelecimento de prazos máximos para alfabetização de crianças. A proposta reúne 14 artigos e 20 metas.

Um dos obstáculos à votação da matéria era o impasse em torno da meta 4, que visa a garantir o acesso à educação básica dos estudantes com deficiência na faixa etária de 4 a 17 anos. Após negociações entre senadores, Ministério da Educação e entidades de apoio, como a Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae), o relator do projeto e presidente da CCJ, senador Vital do Rêgo (PMDB-PB), chegou a um texto de consenso.

Assessoria de Comunicação Social, com informações da Agência Senado

Jovem roda o Brasil em busca de boas práticas dentro e fora de escolas

Caio Dib conversa com aluno da Escola Sesc, RJ
Ana Carolina MorenoDo G1, em São Paulo
Uma viagem de cinco meses que o jovem paulista Caio Dib, de 22 anos, fez neste ano por escolas de várias partes do Brasil vai virar um livro de boa práticas de ensino. Em março, ele trocou o escritório pelas estradas do Brasil no projeto Caindo no Brasil, criado e financiado por ele para mapear experiências inovadoras que têm tido efeitos positivos nos alunos do país. Entre março e agosto, ele passou por 58 cidades de 12 estados e do Distrito Federal. Depois de rodar 17 mil quilômetros pelo país em aviões, ônibus, carros e barcos, Caio agora trabalha para reunir, em um livro, dezenas de práticas que considera úteis para outros educadores e escolas brasileiras.
Viajando sozinho e se hospedando em hotéis, pousadas, albergues ou de favor na casa de desconhecidos, Caio conta que não privilegiou apenas as escolas, e procurou histórias em todas as partes das cidades que visitava, algumas delas sem pesquisa ou agendamento prévio. Formado em jornalismo, ele explicou ao G1 que, além da intenção de trabalhar como disseminador de boas ideias na educação brasileira, a viagem também serviu para preencher uma carência pessoal.
"Eu trabalhava em empresas nacionais e comecei a ficar angustiado. Eu fazia conteúdo sobre o Brasil inteiro, mas não conhecia outras oportunidades. Viajava para marcar ponto turístico e praia bonita, não para olhar a realidade e as pessoas", disse o jovem jornalista, que usou a própria poupança para custear a viagem, com cerca de R$ 15 mil, ou R$ 100 por dia.

http://g1.globo.com/educacao/noticia/2013/09/jovem-roda-o-brasil-em-busca-de-boas-praticas-dentro-e-fora-de-escolas.html

Prêmios a professores diminuem evasão e promovem impacto além da escola

Ivan Nunes Gonçalves e Vera Beatriz Hoff Pagnussatti são professores campeões. Ambos colecionam prêmios nacionais de educação e são exemplos não só dentro de suas comunidades. Ela auxiliou a zerar os números de abandono no ensino médio do colégio onde trabalha; ele criou um projeto escolar que ajudou a conscientizar o povo de uma pequena cidade a respeito do lixo. Hoje, a coleta seletiva abrange toda a comunidade. No meio do contexto duvidoso da educação brasileira – em que números do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (IDEB) mostram melhoras, mas relatórios internacionais como o do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) exibem a maior taxa de evasão do ensino fundamental na América do Sul –, Ivan e Vera são exemplos de que o reconhecimento aos docentes contribui para a qualidade da educação.​
leia mais:
http://noticias.terra.com.br/educacao/premios-a-professores-diminuem-evasao-e-promovem-impacto-alem-da-escola,31cdbbffab051410VgnVCM5000009ccceb0aRCRD.html

Anos Finais precisam ser repensados

Anna Helena Altenfelder, Superintendente do Centro de Estudos e Pesquisas em Educação, Cultura e Ação Comunitária
Nos últimos anos, as políticas e os programas de governos estaduais, municipais ou o federal se concentram na educação infantil, no ciclo da alfabetização ou no ensino médio. Mas a trajetória escolar que os une – os quatro últimos anos do ensino fundamental, chamados de anos finais ou fundamental II – tem sido constantemente esquecida.
Esse “esquecimento”, lembra a pedagoga Anna Helena Altenfelder, pode custar caro. Todo o investimento feito nas etapas iniciais pode se perder. “Se não encararmos o desafio de repensar o fundamental II, vamos perder esforços”, ela diz, categórica. Para ela, o país age como se a qualidade dos anos iniciais fosse naturalmente chegar aos anos finais.
Segundo ela, que é doutora em psicologia e superintendente do Centro de Estudos e Pesquisas em Educação, Cultura e Ação Comunitária (Cenpec), essa lógica está equivocada. “Os indicadores mostram o contrário, estamos perdendo as conquistas”, pondera.
A pesquisadora, que atua também como formadora de professores, conversou com o iG sobre o tema no Congresso “Educação: agenda de todos, prioridade nacional”, organizado pelo movimento Todos pela Educação.
Confira os principais trechos da entrevista:
http://ultimosegundo.ig.com.br/educacao/2013-09-24/anos-finais-do-ensino-fundamental-precisam-ser-repensados-diz-pesquisadora.html

Educação Infantil em Universidades

A proposta do Ministério da Educação (MEC) de transferir para os municípios a responsabilidade pelas unidades de educação infantil pertencentes às universidades federais causou divergência, nesta terça-feira ( 24), em audiência da Comissão de Educação. O governo acredita que a medida deve contribuir para as ações de expansão do ensino infantil (até 5 anos). Para os representantes do setor, contudo, os alunos de graduação e pós-graduação que fazem estágio nessas escolas podem ter perdas com a medida.
Hoje, existem no Brasil 17 escolas de educação básica vinculadas a 16 instituições federais de ensino superior - unidades de educação infantil e os chamados colégios de aplicação. O mais antigo deles, ligado à Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), foi criado em 1948.
leia mais:
http://www2.camara.leg.br/camaranoticias/noticias/EDUCACAO-E-CULTURA/452852-GOVERNO-E-UNIVERSIDADES-DISCORDAM-SOBRE-MUNICIPALIZACAO-DO-ENSINO-INFANTIL.html

Ponte em Cuiabá quebra com peso de ônibus onde estavam 26 alunos

Estudantes de uma região rural de Cuiabá levaram um susto no início da tarde desta terça-feira (24), quando estavam a caminho da escola. O ônibus em que eles estavam não conseguiu passar pela ponte sobre o rio Bandeira, numa estrada que dá acesso ao Distrito de Nossa Senhora da Guia, que não resistiu ao peso do veículo, e quebrou. Ninguém ficou ferido.
Na hora do acidente, 26 estudantes estavam no veículo, que ficou preso à ponte de madeira.  O motorista do ônibus, Nelson Paulino Dantas, disse que todos ficaram muito assustados. "Quando entrei na cabeça da ponte, a frente pesou e as tábuas quebraram. Aí caiu a frente do ônibus. Foi um susto. Alguns alunos começaram a chorar, uns ficaram desesperados, tem toda a reação, né”, contou.
leia mais:
http://g1.globo.com/mato-grosso/noticia/2013/09/ponte-em-mt-quebra-com-peso-de-onibus-onde-estavam-26-alunos.html

terça-feira, 24 de setembro de 2013

Cantinho do castigo

Eu tentei; eu juro que tentei, caro leitor, resistir à tentação de escrever a respeito do cantinho do castigo. Ah, como eu tentei. Mas o maldito cantinho me persegue.
Não há um dia em que, em uma busca de assuntos na internet, eu não me depare com artigos, blogs, reportagens com listas de recomendações aos pais para bem educar o filho, de acordo com a idade que ele tem, que não apresente a ideia do cantinho. Até mesmo de programas de televisão eu não consigo escapar: vira e mexe, lá está a história do cantinho.
Certamente todos conhecem essa estratégia chamada educativa, mas caso alguém tenha tido a sorte de nunca ter se deparado com ela, eu explico. Quando uma criança faz algo que não deveria ter feito, quando se descontrola, quando faz birra ou briga com o irmão, por exemplo, os pais -ou responsáveis, que podem até ser professores- devem levar a criança até um canto, de preferência longe do convívio familiar, e deixar a criança lá por um tempo.
E por quanto tempo a criança deve lá ficar? Ah, depende da idade dela, dizem os adeptos de tal estratégia. Pode ser, por exemplo, um minuto para cada ano que a criança tem, com pequenas variações. E você acredita, leitor, que já há banquinhos em forma de ampulheta, com areia dentro, que demora cinco minutos para passar de um lado ao outro? Então: a estratégia faz tanto sucesso entre os pais que já mobilizou até o mercado de produtos.

continue lendo:

Rosely Sayão, psicóloga e consultora em educação, fala sobre as principais dificuldades vividas pela família e pela escola no ato de educar e dialoga sobre o dia-a-dia dessa relação. Escreve às terças na versão impressa de "Cotidiano".
http://www1.folha.uol.com.br/colunas/roselysayao/2013/09/1346395-cantinho-do-castigo.shtml

Censo Escolar: Retificação até 22 de outubro

Diretores de escolas públicas e privadas e gestores de ensino, os dados preliminares do Censo Escolar 2013 foram publicados no Diário Oficial da União do dia 23/09/2013, por meio da Portaria nº 898, de 20 de setembro de 2013. Portanto, agora é o momento para verificar os dados informados, corrigi-los ou complementá-los diretamente no Sistema Educacenso por meio do endereço eletrônico: http://educacenso.inep.gov.br.
Não se esqueça de que os dados declarados devem ter como base a data de referência do Censo Escolar (última quarta-feira do mês de maio de 2013, neste ano dia 29) e as escolas, até o final do prazo de retificação, deverão solicitar o Fechamento do Censo Escolar e emitir o recibo, somente os dados inseridos em estabelecimentos de ensino que tenham alcançado os requisitos solicitados pelo sistema Educacenso para o fechamento do Censo Escolar serão considerados para as estatísticas oficiais.
O Educacenso ficará disponível para retificações até o dia 22 de outubro de 2013.
Não deixe de conferir! Os dados coletados são fundamentais para a elaboração de diagnósticos sobre a educação brasileira, os quais colaboram para a implementação de políticas públicas na área da educação.
Importante: As escolas que possuem alunos com duplo vínculo de escolarização devem confirmar ou desconsiderar a matrícula por meio do Módulo de Confirmação de Matrícula, de acordo com a Portaria nº 235, de 04 de agosto de 2011.

Greve na Rede Estadual: SINTEP apresenta contraproposta ao Governo

O Sindicato dos Trabalhadores do Ensino Público de Mato Grosso (Sintep-MT) protocolou na manhã desta segunda-feira (23) uma contraproposta ao acordo apresentado pelo governo do estado na quarta-feira passada em tentativa de encerrar a greve da categoria, a qual já dura mais de 40 dias. Titular da Secretaria de Estado de Educação (Seduc), Ságuas Moraes declarou que espera se reunir com o governador para obter um posicionamento sobre a contraproposta ainda nesta segunda-feira.
A Seduc recebeu o documento dos profissionais da educação e informou que já o encaminhou à Secretaria de Estado de Administração (SAD) e também para o governador Silval Barbosa(PMDB).
Desde o início da greve, em agosto, professores e governo negociam os termos de um acordo. Eles reivindicam 10,4% de aumento salarial e pedem ainda que 35% do orçamento estadual seja destinado à educação, como prevê a constituição estadual. Devido aos prejuízos aos alunos da rede pública, a Justiça chegou a declarar a paralisação uma medida abusiva. Os trabalhadores exigem melhorias salariais e de condições de trabalho, como a posse de servidores já aprovados no concurso público de 2010.
leia mais:
http://g1.globo.com/mato-grosso/noticia/2013/09/professores-fazem-contraproposta-ao-governo-para-encerrar-greve-em-mt.html

Covid-19 - MEC divulga diretrizes para volta às aulas presenciais nas Instituições Federais de Ensino

Acesse aqui o Documento  https://vps3574.publiccloud.com.br/cartilhabio.pdf