sexta-feira, 5 de julho de 2013

Crianças superdotadas




Após projetar avião, garoto de dez anos disputa título de gênio mirim


(...)
Um dos sinais de que uma criança pode ser superdotada parece ser que não é possível impedi-la de aprender mais rápido do que as outras.

A consultora da Mensa britânica Lyn Kendall diz ter percebido que seu filho Chris, hoje com 30 anos, tinha inteligência acima da média quando o descobriu quando criança aprendendo sozinho a escrever pela manhã, antes que o resto da família tivesse acordado.

Aos quatro anos, ele preferia ler obras de Charles Dickens na escola em vez de brincar com outras crianças.

"Crianças superdotadas geralmente preferem a companhia de crianças mais velhas ou de adultos", diz Kendall.
(...)
http://noticias.uol.com.br/ultimas-noticias/bbc/2013/06/11/apos-projetar-aviao-garoto-de-dez-anos-disputa-titulo-de-genio-mirim.htm

2° Jogos Escolares Cuiabá


Pelo menos 34 escolas da rede municipal de Cuiabá participarão do 2° Jogos Escolares da Secretaria Municipal de Educação, que ocorrerá de 15 de agosto a 4 de setembro. A abertura dos jogos será no dia 13 de agosto no Ginásio Aecim Tocantins, no bairro Verdão.
Ao todo participarão do campeonato cerca de 1.200 alunos de 9 a 14 anos de idade. Eles vão competir nas modalidades de futsal, voleibol, handebol, atletismo, bola queimada, base quatro, judô e xadrez.
http://www.cuiaba.mt.gov.br/noticias?id=7094

Prêmio Inovação em Gestão Educacional 2013


A partir do dia 1 de agosto de 2013 estarão abertas as inscrições para a quarta edição do Prêmio Inovação em Gestão Educacional. Os gestores municipais de educação terão até às 18 horas do dia 30 de setembro de 2013 para inscrever até quatro experiências e ter a chance de seu projeto ser selecionado e publicado como inovador.
O objetivo do Prêmio é incentivar os Dirigentes Municipais de Educação a tornar públicas as experiências da gestão educacional de seu município que tenham alcançado resultados concretos, e que contribuam com as metas do Plano Nacional de Educação (PNE) (Lei nº 10.172, de 09/01/2001) e do Compromisso Todos pela Educação (Decreto nº 6.094, de 24/04/2007), para assim divulgá-las para a sociedade.

Alfabetização midiática e informacional: currículo para formação de professores




O presente currículo de alfabetização midiática e informacional para formação de professores é um importante recurso para os Estados Membros em seu contínuo trabalho de realizar os objetivos da Declaração de Grünwald (1982), da Declaração de Alexandria (2005) e da Agenda de Paris da UNESCO (2007) – todas elas relacionadas à alfabetização midiática e informacional (AMI). Ele tem um papel pioneiro por duas razões. Em primeiro lugar, lança seu olhar adiante, partindo das atuais tendências de convergência entre o rádio, a televisão, a internet, os jornais, os livros, os arquivos digitais e as bibliotecas rumo a uma única plataforma. Em segundo lugar, foi especificamente projetado tendo em mente os professores e com vistas à integração no sistema formal de educação, lançando assim um processo catalítico que deve alcançar e capacitar milhões de jovens.
A UNESCO não mediu esforços para garantir que fosse empregada uma abordagem sistemática e abrangente na preparação deste currículo de AMI para formação de professores. Incluiu redação, revisão e validação por especialistas de um amplo leque de domínios, como mídia, informação, TICs, educação e desenvolvimento curricular.

Autores: Wilson, Carolyn; Grizzle, Alton; Tuazon, Ramon; Akyempong, Kwame; Cheung, Chi Kim
Brasília: UNESCO, UFTM, 2013. 194p., ilus.

Inovação no ensino e no aprendizado


10 passos para ter mais inovação 
no ensino e no aprendizado


1 – Dos horários fixos para as atividades dinâmicas
Organizar o ensino de maneira mais dinâmica e aproveitar as oportunidades que surgem durante o processo. Fortalecer a improvisação.

2 – Dos conhecimentos adquiridos dentro da sala de aula para aqueles obtidos fora da escola
O aprendizado ocorre em todos os lugares – na sala de aula e no mundo que nos rodeia. Hoje, as crianças e os jovens obtêm informações de muitas fontes, e a realidade exterior desempenha um papel cada vez maior no ensino e na aprendizagem.

3 – Do conhecimento teórico ao conhecimento aplicado na prática
Os alunos usam o conhecimento teórico como base para a concepção e desenvolvimento de soluções práticas para problemas concretos, realistas.

4 – De respostas certas às perguntas abertas
Os alunos não devem apenas ser incentivados a dar as respostas certas, mas também a agir como antropólogos, curiosos e repórteres que trazem novos conhecimentos valiosos que podem ser usados ??para a criação de novas perguntas.

5 – De problemas fictícios para os desafios reais
Motivar os alunos a explorarem a realidade ao redor, em vez de ficar inventando problemas para serem resolvidos.

6 – Da aprendizagem passiva para uma participação ativa
Transformar os alunos em agentes ativos, criadores. Eles devem se envolver na geração de novos conhecimentos e novas soluções.

7 – De aprender com a cabeça para aprender com o corpo inteiro
O ensino deve mesmo inspirar os alunos a tocar, cheirar e mergulhar num assunto em vez de apenas ler um livro ou olhar para uma tela.

8 – De trabalhos individuais para a solução de problemas em conjunto
Em vez de priorizar o trabalho individual do aluno, colocar um problema no centro de todos eles, para que o conhecimento individual contribua para a resolução em conjunto.

9 – Do professor como especialista onisciente para o professor como facilitador
O professor deve ajudar a trazer novos conhecimentos em vez de ficar narrando velhos conhecimentos. Ele é responsável por seu método e deve usar técnicas e ferramentas diferentes para ensinar.

10 – Da sala de aula formal a oficina experimental
A sala de aula deve ser um laboratório para a experimentação, em vez de um ambiente rígido e formal. Elas precisam ser espaços onde os erros são permitidos.

http://www.ticeduca.com.br/index.php?ap=7&n=91

Royalties: Projeto do Senado reduz em R$ 171 bi previsão de repasse para educação e saúde

O Projeto de Lei sobre a destinação dos royalties do petróleo para educação e saúde aprovado pelo Senado na noite de terça-feira (2) diminuiu em R$ 170,9 bilhões a previsão de repasse para as duas áreas nos próximos dez anos. O texto que havia passado pela Câmara dos Deputados previa cerca de R$ 279,08 bilhões, o do Senado prevê um montante de recursos de R$ 108,18 bilhões até 2022. As estimativas estão em nota técnica da Câmara dos Deputados, atualizada na tarde desta quinta-feira.

http://educacao.uol.com.br/

Escola da Terra

Prof. Ednilson e alunos da EMREB N. Sª da Penha de França

Professores de todo o país que lecionam em escolas no campo e quilombolas receberão, a partir deste ano, formação continuada e recursos didáticos e pedagógicos para desenvolver as atividades docentes. As ações para esses educadores estão descritas na Portaria nº 579, de 3 de julho de 2013, do Ministério da Educação, que cria a Escola da Terra.

Os recursos para a formação dos professores provirão do MEC, mas a execução das atividades caberá a estados, Distrito Federal, municípios e instituições públicas de educação superior. Para que os docentes tenham acesso aos cursos, os gestores das secretarias de Educação, além das instituições públicas, devem aderir à Escola da Terra.

http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_content&view=article&id=18865

Ministro decide por desobrigar Governo de MT a destinar 35% do orçamento à Educação

Airton Marques O governador Mauro Mendes (DEM) conseguiu, no Supremo Tribunal Federal (STF), suspender artigo da Constituição Estadual q...