quarta-feira, 27 de novembro de 2013

Convocação de concursados SME

Caros colegas,

para acessarem a convocação dos concursados, basta irem ao link do Diário Eletrônico de Contas pelo blog ou cliquem no endereço abaixo.

 http://www.cuiaba.mt.gov.br/noticias?id=7868

Cometa pode se chocar com Marte em 2014

Por Joe Rao e Space.com

Um cometa recém-descoberto parece estar a caminho de passar muito perto do planeta Marte em outubro de 2014, e existe uma chance – ainda que pequena – de colidir com o planeta.
O novo cometa C/2013 A1 (Siding Spring) foi descoberto em 3 de janeiro de 2013 pelo astrônomo escocês-australiano Robert H. McNaught, um prolífico observador de cometas e asteroides que tem 74 descobertas de cometas no currículo.
McNaught é um dos participantes do Siding Spring Survey, um programa que caça asteroides que podem se aproximar muito da Terra. Descobriu o novo cometa usando o Telescópio Uppsala Schmidt, de50 metros, no Observatório Siding Spring,em New South Wales, na Austrália.
Imagens anteriores à descoberta do cometa, feitas em 8 de dezembro de 2012 pelo Catalina Sky Survey, no Arizona, foram encontradas rapidamente. Como o cometa foi descoberto como parte de sua busca por asteroides, ele tem o nome do observatório, Siding Spring. Oficialmente ele está catalogado como C/2013 A1.
Quando foi descoberto, o Cometa Siding Spring estava a 1,07 bilhão de quilômetros do sol. Com base na excentricidade de sua órbita, ele parece ser um cometa novo, ou “virgem”, viajando em uma órbita parabólica e fazendo sua primeira visita à vizinhança do sol. Espera-se que seu periélio (o ponto em que ele passa mais perto do Sol) seja em 25 de outubro de 2014, auma distância de 209 milhões de quilômetros.
Menos de uma semana antes disso, porém, em 19 de outubro de 2014, o cometa – com um núcleo estimado entre 8 e 50 km de diâmetro – deve cruzar a órbita de Marte e passar muito perto do planeta. Cálculos preliminares sugerem que nominalmente, em sua maior aproximação, o Cometa Siding Spring chegará a 101 mil km de Marte.
No entanto, como o cometa está a uma distância muito grande e está sendo estudado há menos de três meses, as circunstâncias de sua órbita provavelmente precisarão ser refinadas nas semanas e meses futuros. Dessa forma, a aproximação marciana do cometa pode acabar sendo maior ou menor do que sugerem nossas previsões atuais. De fato, na quarta-feira passada (27 de fevereiro), observações feitas por Leonid Elenin, um respeitável astrônomo russo que trabalha no Instituto de Matemática Aplicada Keldysh, sugeriu que o cometa poderia passar ainda mais perto – a apenas41.300 kmdo centro de Marte.
De acordo com Elenin: “Em 19 de outubro de 2014, o cometa pode atingir uma magnitude aparente de -8 ou -8,5 se visto de Marte!” (Isso deixaria o cometa de 15 a 25 vezes mais brilhante que Vênus. “Talvez seja possível conseguir imagens de alta resolução da sonda Mars Reconnaissance Orbiter (MRO)”, adicionou ele.
E também existe a pequena possibilidade de o cometa colidir com Marte.
Movendo-se a 56 km por segundo, uma colisão dessas criaria uma cratera de impacto em Marte com até 10 vezes o diâmetro do núcleo do cometa, e até 2 km de profundidade, com uma energia equivalente a 2x1010 megatons!
A maioria dos leitores se lembrará do mergulho do Cometa Shoemaker-Levy em Júpiter, em 1994, que deixou escuras cicatrizes na cobertura de nuvens do planeta durante muitos meses após a colisão.
Colidindo ou não, o Cometa Siding Spring definitivamente chegará extremamente perto de Marte em menos de 20 meses. Incrivelmente, essa será a segunda passagem de um cometa perto de Marte em pouco mais de um ano.
Em 1º de outubro desse ano, o muito aguardado Cometa ISON deve passar a 10,5 milhões de quilômetros de Marte até passar raspando o Sol em novembro. Esse encontro é próximo o suficiente para ser categorizado como excepcional e, mesmo assim, o Siding Spring passará 100 vezes mais perto.
http://www2.uol.com.br/sciam/noticias/cometa_pode_se_chocar_com_marte_em_2014.html

Participação dos pais no processo educativo

Envolver os familiares em algumas atividades elaboradas pela escola pode trazer um equilíbrio no que diz respeito à disciplina e aproveitamento de seus alunos


Objetivos:
★ Promover a integração família, aluno e escola;
★ Gerar o gosto pela leitura;
★ Estimular o aprendizado de novos vocabulários em inglês;
 Criar vínculos afetivos;
 Propiciar a estimulação auditiva.
Faixa etária: Livre.

Foto: Itaci Batista
Integrar a família em projetos da escola é um trabalho importante para o desenvolvimento da criança, pois permite que ela tenha mais dedicação nos projetos escolares e faz com que a família possa acompanhar o desenvolvimento e dificuldades da criança no processo de aprendizagem.
Dica de leitura! A Família do Marcelo
Nesse livro, os leitores vão conhecer a família do Marcelo: o pai, seu João; a mãe, dona Laura; e a irmã, Aninha. Mas não é só isso. Também vão conhecer os outros parentes do Marcelo e descobrir quantos tipos diferentes de família existem por aí. No fim, ainda é possível se divertir com as brincadeiras preparadas especialmente para os leitores desta série.
Autora: Ruth Rocha
Editora: Moderna
Preço: R$ 32,00
Onde encontrar: www.moderna.com.br

Diversas atividades podem ser feitas nesse sentido, mais elaboradoras ou mais simples, mas a ideia é que sempre tenha algum tipo de atividade que integre a família, fazendo com que esse acompanhamento seja contínuo. Na Escola de Educação Infantil Econvivência, alguns projetos são desenvolvidos com esse objetivo. Veja como eles funcionam:

Uso de tecnologias na educação infantil

Prepare suas aulas usando alguns recursos tecnológicos como ferramentas de ensino



Objetivos:
★ Reconhecer e diferenciar letras e números;
★ A escrita do próprio nome;
★ Fazer contagem da idade;
 Praticar movimentos corporais;
 Desenvolver o equilíbrio e a agilidade;
 Promover atividades em grupo e de cooperação;
★ Ampliar a socialização;
 Conhecer um conto de fada e suas características;
 Distinguir personagens no conto;
★ Recontar o conto.
Faixa etária: a partir de 2 anos.
Foto: Itaci Batista


Segundo a pedagoga e orientadora na área de Informática Educacional Ana Paula Barros de Paiva, da Planeta Educação, a tecnologia pode ser usada de forma muito natural, sendo mais um recurso que irá favorecer o processo de ensino e aprendizagem, além de apoiar a socialização, pois, quando se fala em recursos tecnológicos na Educação Infantil, não é necessário um equipamento para cada criança, por exemplo. "Quatro equipamentos por sala já apoiaria muito o uso, logo que, nessa faixa etária, as escolas e professoras já estão habituadas a utilizar "cantinhos" dentro da própria sala de aula, e um deles pode ser de Tecnologia, onde as crianças podem realizar atividades direcionadas pela professora!
Para Ana Paula, ainda há muitas dúvidas dos professores que atuam nessa faixa etária, pois não é simples inserir um novo recurso quando não o reconhece como ponto positivo ou que não sabe usá-lo. Sobre as dúvidas em relação a montar aulas usando o recurso tecnológico, ela aconselha que os educadores se interessem mais por esse assunto, não sendo necessário saber tudo e conhecer todos os recursos, pois o conhecimento vai sendo adquirido com o tempo e com a prática. Além disso, é preciso acreditar que para as crianças criarem é imprescindível que haja riqueza e diversidade nas experiências que lhes são oferecidas!
Continue lendo: http://revistaguiainfantil.uol.com.br/professores-atividades/125/aprendendo-com-a-tecnologia-prepare-suas-aulas-usando-alguns-300360-1.asp

Piso salarial de professores da educação básica para 2020: R$ 2.886,24

Dyelle Menezes, do Portal MEC O piso salarial dos profissionais da rede pública da educação básica em início de carreira foi reajustado...