quarta-feira, 29 de outubro de 2014

Escola de Rondônia aposta na formação integral

No projeto Burareiro o currículo é voltado para o desenvolvimento completo dos alunos e desperta maior interesse
O baixo índice de desenvolvimento humano se colocou como o principal desafio da gestão municipal de Ariquemes (RO), em 2005. Especialmente nos bairros mais periféricos, as acentuadas questões de vulnerabilidade social, violência, desemprego e violação dos direitos de crianças e adolescentes, acabavam por inflacionar um quadro de desinteresse educacional, marcado por baixa assiduidade, evasão escolar, repetência e baixa estima dos alunos.
O enfrentamento a esse cenário nasceu de uma aproximação da prefeitura com a Universidade Federal de Rondônia (UNIR), a partir do Centro Interdisciplinar de Estudos e Pesquisas em Educação e Sociedade, representado pelo professor doutor Antônio Carlos Maciel e pelas professoras Rute Moreira Braga e Adriana Ranucci. O grupo recebeu um pedido de apoio na formatação de um projeto de educação em tempo integral; a consultoria, no entanto, promoveu o desenvolvimento de um projeto, a partir do entendimento de que seria necessário promover o desenvolvimento de múltiplas capacidades humanas, ancoradas, sobretudo, por uma nova perspectiva curricular. Nascia o projeto Burareiro.
Escola Edução Integral Rondoniakatya_naumova / Fotolia.com

Proposta integrada
A experiência nasceu como um projeto piloto aplicado na escola municipal Roberto Turbay; em 2007, se expandiu para mais três unidades: Professor Pedro Louback, Professor Ireno Antônio Berticelli e Professor Venâncio Kottwiz. O trabalho partiu de uma integração curricular, que buscava nortear os conhecimentos a partir dos conteúdos de ensino, e de atividades culturais e esportivas. A proposta direcionou 840 horas anuais aos componentes curriculares nacionais e 800 às oficinas curriculares que abrangem atividades de estudos orientados, arte e cultura, atividades esportivas e motoras, saúde educacional, educação alimentar e ambiental. Segundo o professor Antônio Carlos Maciel, um dos orientadores do processo, a ideia é mostrar que as aprendizagens cotidianas não devem estar dissociadas daquelas obtidas no ambiente escolar.
A oferta de atividades prevê continuidade na construção do conhecimento, motivo pelo qual o projeto preserva também seus profissionais em tempo integral. A alta rotatividade é evitada justamente para que não haja descontinuidade da proposta pedagógica a ser trilhada. Os alunos são orientados a se envolverem a partir de suas habilidades, gostos e projetos de vida. Além disso, outras diretivas fundamentam a proposta: a politecnia, a ampliação do tempo, espaço e oportunidade,  a escola como eixo integrador da comunidade e a construção de projeto pedagógico a partir de um conselho gestor multidisciplinar.
Grupos de estudos
A transição para o modelo envolveu um amplo trabalho de formação com as equipes gestoras que passariam a desenvolvê-lo, a partir de um questionamento central:  “Como queremos que o aluno seja multidisciplinar com professores especialistas?”. As reflexões começaram em 2006, com a participação dos profissionais da rede em um Seminário de Educação Integral e Políticas Públicas. Depois disso, o percurso formativo se estruturou a partir de encontros bimestrais que buscavam o diálogo entre a teoria e a prática, momentos chamados de laboratórios sociais histórico críticos.
Os encontros previam a integração dos gestores das escolas que podiam vivenciar situações variadas de aprendizagem, como exemplifica Maciel. “A partir do futebol, por exemplo, era possível trabalhar conceitos de cooperação e competição, também presentes em nossa sociedade; e estabelecer outras relações matemáticas com a triangulação dos passes, sua velocidade e distância”.
Esses conhecimentos eram compartilhadas com as equipes pedagógica e administrativa das escolas, já que seriam elas as responsáveis pelo acompanhamento, e pela integração do planejamento e da execução dos projetos e atividades desenvolvidas.
Gestão participativa
A educação integral, aos poucos, ia se manifestando na proposta pedagógica das escolas que, por sua vez, se sustentava em gestão participativa. Mensalmente, as escolas têm assegurado em seu calendário momentos de planejamento coletivo, para os quais são convidados pais, familiares, comunidade, e outras secretarias. Os resultados das ações são frequentemente apresentados em exposições abertas ou feiras culturais, com ampla participação dos alunos.
Também está contemplada no projeto a participação das outras secretarias do município. O esforço intersetorial amplia a possibilidade de realizar ações e de fundamentá-las sob intencionalidades pedagógicas diversas e reais.
Principais resultados
A consolidação do projeto Burareiro veio, com o passar do tempo, contornando problemas sociais antes comuns ao território. Dados da Secretaria de Municipal de Educação mostram melhoras no índice de aprovação – em 2004, 80%; em 2013, 87%. Isso implicou em queda de retenção dos alunos, em 2004, 20% e em 2013, 13%, além do controle da evasão escolar, totalmente eliminada nesse ano. Atualmente, 1.580 alunos encontram-se matriculados em período integral no município.
Para os gestores locais, esse alcance foi possível a partir da ressignificação do espaço escolar, o que implica na valorização de toda a equipe pedagógica, com formações e atualizações constantes, amplitude de oportunidades educativas em diálogo com as demandas dos alunos e consequente reconhecimento de talentos, e a garantia de espaço participativo aos familiares e comunidade, que se tornaram parte da comunidade de aprendizagem.
Também é determinante o esforço de todas as secretarias do município no planejamento e execução das atividades, e a parceria com o Ministério da Educação (MEC), a partir de 2009, com o Programa Mais Educação que, para além das escolas atendidas pelo Burareiro, oferta educação integral para as unidades Mário Quintana, Magdalena Tagliaferro, Professor Levi Alves de Freitas, Aldemir Lima Cantanhede e Dr. Dirceu de Almeida, ampliando a oferta de possibilidades educativas no território.

http://porvir.org/porfazer/escola-de-rondonia-aposta-na-formacao-integral/20141028

Secretaria de Educação promove evento em comemoração ao Dia do Livro


Rosane Brandão
Secom Cuiabá
Foto: Jorge Pinho
Em comemoração ao Dia Nacional do Livro, celebrado nesta quarta-feira (29), a Secretaria de Educação de Cuiabá promove uma programação especial nas Bibliotecas Saber com Sabor. A abertura do evento será na biblioteca da Praça Clovis Cardoso, região central de Cuiabá, às 9h. 
O evento contará com a presença do secretário municipal de Educação, Gilberto Figueiredo, e da secretária-adjunta, Marioneide Kliemaschewsk, que na oportunidade farão o cadastro para empréstimo de livro na Biblioteca Clóvis Cardozo. 
A programação segue até sexta-feira (31) com várias atividades nas bibliotecas dos bairros Osmar Cabral, Cidade Verde, Pedregal, Pedra 90, Santa Isabel. Entre as atividades estão exposição de livros, confeccionados por funcionárias de creches e das bibliotecas; recebimento de doação e troca de livros, além de apresentações de poemas e poesias. Os leitores que mais emprestaram livros em 2014 serão homenageados. Alunos de 36 unidades de ensino participarão do evento. 
Ainda durante a semana, será realizado nos Parque Mãe Bonifácia, Zé Bolo Flor, Massairo Okamura, em praças e terminais de ônibus a continuidade do projeto Livro Esquecido.
Segundo a coordenadora das Bibliotecas Saber com Sabor, Edvair Alves, o evento será aberto para a população, que poderá aproveitar a oportunidade para fazer o cadastro em uma das bibliotecas. “Para efetuar o cadastro é preciso preencher um formulário fornecido pelas bibliotecas e ter em mãos um comprovante de residência, fotocópia de documento oficial com foto e indicar dois números de telefones para referências pessoais”, explicou a coordenadora.
http://www.cuiaba.mt.gov.br/educacao/secretaria-de-educacao-promove-evento-em-comemoracao-ao-dia-do-livro/9773

Diretora de creche é exemplo de servidora pública na rede municipal


Rosane Brandão
Secom Cuiabá
Foto: Jorge Pinho

Com uma rotina diferente de muitos trabalhadores, Elenice Maria de Moraes Lopes, diretora da creche municipal Padre Armando Cavallo, no bairro 1º de Março, pode ser considerada um exemplo de servidora pública. Sua rotina diária começa às 4h30 e termina depois das 23 horas para dar conta de todos os afazeres. 
A servidora mora no bairro Voluntários da Pátria, região do Pedra 90, e todos os dias precisa atravessar a cidade para chegar até o trabalho, no  bairro 1º de Março, são quase 24 quilômetros de distância percorridos todos os dias. Mas isso não é problema para a servidora, que afirma ter prazer naquilo que faz.
Após cumprir o expediente na creche, no final do dia ela segue para a faculdade, onde permanece por mais quatro horas no curso de Pedagogia.
Servidora efetiva na rede municipal de educação há 14 anos, Elenice prestou o concurso para Auxiliar de Serviços Gerais (ASG) em 2000, época em que tinha apenas o ensino fundamental. No entanto, a força de vontade e a determinação sempre estiveram presentes na vida da servidora, e, em um período de sete anos, já havia concluído o curso de Letras, com habilitação em Português e Espanhol.
Em dezembro deste ano, Elenice concluirá um ano de mandato como diretora da creche, eleita pela comunidade. Mas ela já está nesta unidade de ensino há quatro anos. Anteriormente, prestou serviço na escola municipal Aristotelino Alves Praeiro, também no bairro 1º de Março.
“Ser diretora não é uma função muito fácil, pois é um cargo que exige muito de nós. Exige que trabalhemos de acordo com a Lei de Gestão, ou seja, com transparência e responsabilidade e nem sempre as pessoas entendem que normas são para serem seguidas e não dá para ser flexível sempre. No entanto, procuro fazer meu trabalho da melhor maneira possível, de forma justa e coerente e sem perder o foco que é a qualidade no atendimento à criança”, disse.
Elenice acredita que o papel do educador é desafiador, mas o retorno é gratificante. “Quem trabalha com crianças precisa desenvolver habilidades e competências de leitura e escrita e sempre olhar a educação como algo transformador e, para mediar essa ação, é preciso ser um educador compromissado”.
Apesar de ter uma carreira exemplar, sua vida pessoal não foi fácil, tendo enfrentado problemas de saúde e morte em família. Mas nunca se deixou abater. Mãe de três filhos e avó de três netos, Elenice afirma que tem um relacionamento maravilhoso com a família. “A minha primeira profissão na vida foi ser mãe, sempre tive facilidade em amar e ser amada pela minha família”. 
“Elenice é apenas uma entre tantos outros servidores da Secretaria Municipal de Educação que merecem toda a nossa gratidão e homenagem nesse dia por tudo que fizeram e fazem pela educação do nosso município”, observou o secretário de Educação de Cuiabá, Gilberto Figueiredo.
“Eu sonho com uma educação de qualidade, com políticas públicas pontuais, que beneficiem todos os cidadãos não só de Cuiabá, mas de todo o Brasil”, completou Elenice.
http://www.cuiaba.mt.gov.br/educacao/diretora-de-creche-e-exemplo-de-servidora-publica-na-rede-municipal/9772

MT: Escolas estaduais têm ótimo desempenho no Enem 2020

As escolas estaduais Liceu Cuiabano, Presidente Médici e André Avelino, de Cuiabá, estão entre as melhores colocadas no estado, com a aprov...