quarta-feira, 11 de dezembro de 2013

Para OCDE, Brasil precisa aumentar investimento em escolas mais pobres

Cristiane Capuchinho
DO UOL, em São Paulo
Apesar do avanço no desempenho dos estudantes brasileiros no Pisa 2012 (Programa Internacional de Avaliação de Alunos), o Brasil continua entre os últimos no ranking de educação de 65 países. Para a OCDE (Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico), o país precisa investir mais recursos, principalmente nas escolas de áreas mais pobres e com piores resultados, para melhorar a educação.
"O Brasil ainda investe mais dinheiro em escolas de áreas mais ricas", explica Andreas Schleicher, diretor para Educação da OCDE. De acordo com ele, investir mais dinheiro em escolas de pior desempenho dá melhores resultados.
Os dados do Pisa 2012 mostram que a educação no Brasil reflete em grande proporção a desigualdade social. "Quem nasce em uma família rica no Brasil facilmente terá um desempenho próximo aos dos alunos de países desenvolvidos, mas quem nasce em uma família pobre terá poucas chances de ter uma boa educação. Muito menos chances do que em outros países", evidencia Schleicher. 
"É preciso investir os recursos de maneira mais equitativa, investir mais recursos na educação básica que na educação superior e atrair os melhores professores para as escolas com maiores desafios", lista o diretor da OCDE.
No exame do Pisa 2012, matemática foi a única disciplina em que os brasileiros apresentaram avanço no desempenho. O Brasil saiu de 386 pontos, em 2009, e foi a 391 pontos --a média da OCDE é de 494 pontos e ficou na 58ª posição do ranking.
Em leitura, os estudantes brasileiros ficaram na 55ª posição do ranking, com 410 pontos frente a 496 pontos da média da OCDE. Em ciências, o Brasil caiu do 53° posto para o 59° lugar, apesar de ter mantido a mesma pontuação (405) --a média da OCDE é de 501 pontos. 

Melhora na economia explica desempenho

Entre as explicações para a melhoria no desempenho dos estudantes brasileiros está o aumento do número de jovens de 15 anos matriculados na série escolar adequada à sua idade. Em 2003, havia mais estudantes brasileiros com 15 anos que ainda estavam no 8º ano e 9° ano do ensino fundamental que em 2012. O ideal seria que alunos dessa idade estivessem matriculados no 2° ano do ensino médio.
Com mais estudantes na série adequada, é esperado que seu desempenho no Pisa seja melhor por chegarem ao exame após terem passado por mais séries escolares.
"Essa melhora se deveu na verdade à melhora das condições socioeconômicas das famílias brasileiras. Na verdade, o aprendizado melhorou não porque a escola melhorou. O aprendizado melhorou porque o país como um todo melhorou e isso refletiu na escola", afirma André Portela, pesquisador da FGV (Fundação Getulio Vargas). "Isso tem um limite. Precisamos também atacar outras dimensões da melhoria do ensino."
O nível socioeconômico dos pais tem uma forte correlação com o aprendizado dos alunos. Famílias com melhor renda e mais escolaridade tendem a ter filhos que frequentam a escola por mais tempo. Em casa, crianças de famílias com mais renda costumam ter disponíveis mais materiais, como livros, que ajudam na aprendizagem.
http://educacao.uol.com.br/noticias/2013/12/06/para-ocde-brasil-precisa-aumentar-investimento-em-escolas-mais-pobres.htm

Senado vota hoje o PNE; veja pontos de conflito entre governo e oposição

Marcelle Souza
Do UOL, em São Paulo
O PNE (Plano Nacional de Educação), que deveria entrar em vigor em 2 011, será votado pelo plenário do Senado nesta quarta-feira (11). O texto que está em jogo é oaprovado no dia 27 pela Comissão de Educação da Casa e deve gerar muitos debates entre o governo e a oposição.
Entre os pontos mais polêmicos estão os que envolvem financiamento e responsabilização da União diante do não cuprimento de metas. O texto do senador Alvaro Dias (PSDB-PR), relator do PNE na CE, prevê maior responsabilidade do governo e limita investimentos em educação pública --deixando fora da conta as parcerias do governo com instituições privadas, como por meio do ProUni.
Para tentar evitar a aprovação do texto de Dias, o senador Vital do Rêgo (PMDB-PB) apresentou na sexta (6) um substitutivo ao texto da CE. Na versão do senador, o governo garante várias alterações feitas durante a passagem do plano pelas comissões de Assuntos Econômicos e de Constituição e Justiça.

VEJA QUAIS SÃO OS PRINCIPAIS PONTOS DE DEBATE DO PNE

Continue lendo:
http://educacao.uol.com.br/noticias/2013/12/11/senado-vota-hoje-o-pne-veja-pontos-de-conflito-entre-governo-e-oposicao.htm

Calendário escolar na rede municipal será antecipado em virtude da Copa do Mundo


O calendário escolar de 2014 nas unidades de ensino da rede municipal de Cuiabá foi alterado em virtude da Copa do Mundo no Brasil. As férias nas unidades escolares terão início no dia 13 de dezembro de 2013 e o início das aulas do ano letivo de 2014 foi antecipado para o dia 21 de janeiro.
Já o retorno dos profissionais da educação será no dia 13 de janeiro, quando participam da Semana Pedagógica até o dia 17 de janeiro.
Conforme explica o secretário de Educação de Cuiabá, Gilberto Figueiredo, mesmo com a alteração no calendário, não haverá prejuízo na carga horária, que terá 209 dias letivos para as creches e 200 dias para as escolas, com um total de 800 horas-aula.
Em 2014, as escolas terão recesso durante o período dos jogos, entre os dias 12 de junho e 12 de julho, retornando às aulas no dia 15 de julho. O recesso será para os alunos, professores e Auxiliar de Desenvolvimento Infantil (atendimento educacional especializado, articuladores, readaptadores de função e intérpretes).
Nas creches os alunos e professores serão dispensados apenas nos dias de jogos da Seleção Brasileira. Na segunda semana de julho, no período de 7 a 11, haverá recesso.
O secretário Gilberto Figueiredo ressalta que o recesso e as férias dos professores estão regulamentados na Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDB), que garante 30 dias de férias e 15 de recesso.

Rosane Brandão

http://www.cuiaba.mt.gov.br/noticias?id=7930

Viaturas da Força Municipal farão rondas nas escolas a partir de 2014

As escolas municipais de Cuiabá receberão atenção especial no ano de 2014. O prefeito Mauro Mendes anunciou que a partir do próximo ano destinará viaturas pertencentes à recém-criada Secretaria de Apoio à Segurança Pública para cada região do município, de forma a dar maior segurança.
A medida deve trazer maior conforto a pais, alunos e professores, que a partir de então poderão, em caso de necessidade, ter atendimento imediato em situações de perigo ou que exijam apoio.
“As nossas escolas poderão contar com rondas em suas portas e os professores terão a tranquilidade de ter uma resposta rápida da polícia em alguma situação de risco ou emergência”, disse Mendes.
O secretário municipal de Educação, Gilberto Gomes de Figueiredo, ressalta a iniciativa da Prefeitura de Cuiabá e destaca a atenção da administração em garantir maior segurança nas escolas.
A Secretaria de Apoio à Segurança Pública foi criada este ano e deve entrar em funcionamento a partir de janeiro do ano que vem. A partir do momento em que for efetivado seu funcionamento, as unidades escolares, bem como as feiras-livres, já deverão começar a receber a atenção das viaturas.
A Força Municipal de Cuiabá também vai atuar na segurança de grandes eventos, como shows e festas, além da Copa de 2014.

Fonte:  Priscilla Vilela

http://www.cuiaba.mt.gov.br/noticias?id=7950

Covid-19 - MEC divulga diretrizes para volta às aulas presenciais nas Instituições Federais de Ensino

Acesse aqui o Documento  https://vps3574.publiccloud.com.br/cartilhabio.pdf