quinta-feira, 5 de setembro de 2013

Homologado Parecer do CNE que trata da jornada de trabalho do magistério

No dia 1º de agosto o ministro da Educação, Aloizio Mercadante, homologou o Parecer nº 18/2012 da Câmara de Educação Básica do Conselho Nacional de Educação (CEB/CNE) que trata da jornada prevista na Lei Nacional do Piso do Magistério, Lei nº 11.738 de 2008. O texto aprovado foi divulgado recentemente.
A Undime junto a outras instituições como a Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE), o Conselho Nacional de Secretários de Educação (Consed) e o Ministério da Educação foram agentes essenciais, pois trouxeram contribuições importantes para a construção do Parecer, cuja relatora foi a conselheira Maria Izabel Azevedo Noronha.
O texto trata dos parâmetros a serem seguidos na implementação da jornada de trabalho dos profissionais do magistério público da educação básica.
Clique aqui para acessar a íntegra do Parecer nº 18 de 2012 CEB/CNE.
Autor: Undime

Secretário diz que é IMPOSSÍVEL o Estado conceder aumento salarial aos profissionais da educação

LAÍSE LUCATELLI
DA REDAÇÃO
O secretário de Estado de Administração (SAD), Francisco Faiad (PMDB), afirmou, em entrevista doMidiaNews, que é impossível dar aos professores da rede estadual de ensino o aumento pretendido pela categoria, que está em greve desde 12 de agosto. D

De acordo com o secretário, a Lei de Responsabilidade Fiscal impede que o Governo do Estado aumente os gastos com folha de pagamento. Os professores reivindicam um ganho real de 10,41% em sete anos. 

“O reajuste salarial pretendido pelos professores é impossível neste momento. Hoje, a folha de pagamento do Estado corresponde a 46% da receita. O limite é 49%, e a previsão é de que, com o crescimento vegetativo da folha e a correção monetária já programada para o ano que vem, nós cheguemos ao limite tolerável de 47% em 2014”, explicou.

leia mais:

http://www.midianews.com.br/conteudo.php?sid=1&cid=171672

ENEM: redação exemplar, segundo o MEC, tem erros de grafia

O MEC (Ministério da Educação) divulgou nesta quinta-feira (5) o Guia do Participante – A Redação no Enem 2013. Entre os cinco exemplos de redações nota 1.000 (pontuação máxima), aparece um texto com falta de acento na palavra "espanhóis" – o candidato escreveu a mesma palavra três vezes, duas certas e a última errada.


Segundo o material, "o texto demonstra excelente domínio da modalidade escrita formal e não apresenta problemas linguísticos, a não ser a falta de acento em 'espanhóis', sem reincidência em inadequações de grafia".
Em coletiva de imprensa realizada para a apresentação do guia, o ministro da Educação, Aloizio Mercadante, afirmou que esse foi um erro excepcional e que o texto tem todas as características de uma boa redação, merecendo a nota. O ministro também acrescentou que a correção das redações do Enem 2013 será mais rigorosa.
leia mais:
http://educacao.uol.com.br/noticias/2013/09/05/enem-mec-publica-exemplo-de-redacao-nota-1000-com-erro-de-portugues.htm

EAD proporciona boas oportunidades

A expectativa é grande para a colação de grau que deve acontecer em fevereiro de 2014. O operador de máquinas do Demlurb (Departamento Municipal de Limpeza Urbana) de Juiz de Fora, Luiz Carlos Figueiredo, 33, está quase se formando em Administração Pública, graduação cursada pelo ensino a distância na UFJF (Universidade Federal de Juiz de Fora).
Para terminar o curso, o esforço é superar o cansaço diário. E, nesse tempo da graduação, ele ainda enfrentou um acidente no serviço e problemas de saúde na família.
Há 10 trabalhando na limpeza urbana, Luiz Carlos sempre teve vontade de conhecer melhor as técnicas administrativas do serviço público. Correu para terminar o ensino médio quando ficou sabendo, pela TV, que poderia cursar a graduação na UFJF. "Até então, as pessoas não acreditavam na qualidade do ensino a distância. Devido às novas tecnologias, a difusão desse ensino foi grande e com mais credibilidade. É uma boa oportunidade", afirma.
leia mais: http://educacao.uol.com.br/noticias/2013/09/05/ead-e-boa-oportunidade-diz-operador-de-maquina-que-faz-administracao.htm

Formação artística na educação básica

A Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDB) obriga as instituições de Ensino de Educação básica a promoverem o desenvolvimento cultural dos Alunos por meio do Ensino da arte como disciplina curricular obrigatória desde 1996. Mesmo depois de tanto tempo de vigência, as Escolas ainda encontram dificuldades para adaptar sua grade às exigências da LDB.

Os desafios são minúsculos diante da importância da história da arte para compreender o mundo. A formação cidadã e cultural passa pelo aprendizado da arte.Compreender a história da arte é fundamental para entender o cenário em que se vive. A arte é a expressão humana e, por isso, reflete a forma do homem de pensar e de ver o mundo. Ao criar uma obra, o artista está passando uma mensagem por trás da peça. O cidadão comum só conseguirá decodificar qual é essa mensagem e dar valor ao trabalho do artista caso tenha conhecimento e bagagem cultural.
Educação e arte devem caminhar juntas sempre. O papel da Escola vai muito além da simples formação da Educação básica. As instituições de Ensino devem contribuir para a formação integral dos estudantes, o que inclui sua formação artística e cultural. Por isso, é fundamental que as crianças e os adolescentes sejam estimulados a visitar museus e espaços de arte desde o período Escolar. Infelizmente, em Belo Horizonte, nossas crianças são pouco habituadas a visitar esses locais. A Educação deve abordar a arte de forma mais consistente e frequente.

leia mais: http://www.todospelaeducacao.org.br/comunicacao-e-midia/educacao-na-midia/28047/opiniao-formacao-artistica-na-escola-basica/

Senado aprova exigência de doutorado para ingresso na carreira de professor

RIO — O Senado aprovou, nesta terça-feira, a Medida Provisória (MP) 614/2013, que impõe a exigência de doutorado para o ingresso na carreira de professor em universidades e instituições federais de ensino básico, técnico e tecnológico. O texto enviado pela Câmara dos Deputados não foi alterado pelos senadores e segue para sanção pela presidente Dilma Rousseff.

Quanto à exigência do doutorado, o texto prevê exceção para instituições que estejam localizadas em áreas carentes de profissionais com a titulação. Para estes casos, será permitido que as vagas sejam ocupadas por professores com título de especialista, mestre ou apenas diploma de graduação.
A MP também facilitará a passagem de doutores e mestres para níveis avançados da carreira após três anos de estágio probatória. A redação da lei previa que, depois desse prazo, o docente concorreria a essa promoção. Agora será um direito garantido.

Leia mais sobre esse assunto em http://oglobo.globo.com/educacao/senado-aprova-mp-que-reestrutura-carreiras-do-magisterio-9812134#ixzz2e1GJri1M 
© 1996 - 2013. Todos direitos reservados a Infoglobo Comunicação e Participações S.A. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização. 

Federais criam cotas para mestrados e doutorados

São Paulo - Após um ano da Lei de Cotas, universidades federais começam a reservar vagas para negros e índios também em mestrados e doutorados. Departamentos das Universidades Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e de Brasília (UnB) desenvolvem políticas afirmativas na pós-graduação por iniciativa de professores e alunos.
A Pós-Graduação em Antropologia Social do Museu Nacional da UFRJ reservará o mínimo de duas vagas aos indígenas. Para negros, haverá nota de corte menor do que de outros concorrentes e adicional de 20% de vagas. Neste ano, nove candidatos já se declararam indígenas e 27, negros. Os primeiros cotistas devem começar em 2014.
leia mais:

Carlão dos Bonecos: arte plena

Artista: espontâneo, criativo, desorganizado e, por vezes, solitário. Se levarmos em conta essa definição, então Carlos Gattass Pessoa, ou melhor, “Carlão dos bonecos”, definitivamente é um artista.

Na verdade, Carlão dos bonecos, seu nome artístico registrado na carteira de trabalho, é um bonequeiro. Oficialmente, seria chamado de ator e aderecista, mas o senhor de 54 anos, carismático e receptivo, sente orgulho de ser chamado de bonequeiro.
"O boneco não é um acessório", disse Carlos sentado em uma cadeira de fio na sua cozinha e escritório. Sim, a cozinha e o escritório eram no mesmo cômodo. Assim é a casa e oficina de Gattass: atípica e peculiar, sem contar muito bagunçada.

Dividida em três cômodos principais, a oficina/casa torna-se quase um corredor por conta das diversas pilhas de bonecos, livros, caixas e sacolas que ocupam a maior parte do espaço. Em meio aos objetos, podemos até ver as partes desmontadas de uma pequena cama elástica e um ventilador que serve para pendurar camisas. Na cozinha, uma mesa de madeira com um notebook, facas, uma estante de livros com roupas por cima. Um verdadeiro labirinto que representa a personalidade complexa e bagunçada, mas extremamente original, de Carlão dos bonecos.

Mas ninguém se perde com Carlão ao lado. Receptivo, dá as boas vindas para quem entra em sua residência interessado em saber mais sobre sua arte. Mostra os bonecos, explica a diferença entre cada um, seus materiais e sutilezas de manipulação e conta sobre sua trajetória de bonequeiro, que começou, aliás, nos anos 80.

leia mais que vale a pena se encantar com o encanto dos bonecos e Carlão:

http://conceito.olhardireto.com.br/noticias/exibir.asp?noticia=Carlao_dos_Bonecos_o_carisma_e_a_bagunca_do_artista_que_encanta&id=2093

Violência contra os professores

A Comissão de Segurança Pública e Combate ao Crime Organizado aprovou na quarta-feira (28) proposta que cria a política de prevenção à violência contra os profissionais do magistério. O texto prevê medidas punitivas como o afastamento temporário ou definitivo do aluno ou funcionário violento ou a transferência do estudante infrator, assim como a licença remunerada do professor que estiver em situação de risco.
A medida foi aprovada conforme substitutivo do relator, deputado Otavio Leite (PSDB-RJ), ao Projeto de Lei 604/11, do deputado Manoel Junior (PMDB-PB). À proposta inicial, o relator acrescentou que os municípios deverão instituir serviço gratuito de atendimento telefônico destinado a receber denúncias de agressões contra professores nas escolas.
Essa medida estava prevista no PL 1225/11, do deputado Weliton Prado (PT-MG), que tem análise conjunta com o PL 604.
leia mais:
http://www2.camara.leg.br/camaranoticias/noticias/EDUCACAO-E-CULTURA/450737-COMISSAO-APROVA-POLITICA-DE-PREVENCAO-A-VIOLENCIA-CONTRA-PROFESSOR.html

Congresso Nacional prorroga por 60 dias a suspensão das aulas

  VERSÃO CERTIFICADA     DIÁRIO COMPLETO     IMPRESSÃO DIÁRIO OFICIAL DA UNIÃO Publicado em:  28/05/2020   |  Edição:  101   |  Seção: 1   |...