quinta-feira, 19 de janeiro de 2017

Estudantes que fizeram o Enem poderão concorrer a 2.340 vagas na Unemat pelo Sisu

Lygia Lima Assessoria Unemat 


Os estudantes que realizaram o Enem 2016 poderão concorrer a 2.340 vagas em cursos de graduação oferecidos em 58 cursos da Universidade do Estado de Mato Grosso. As inscrições no Sistema de Seleção Unificada (Sisu 2017) será de 24 a 27 de janeiro.
Cada candidato pode fazer até duas opções de curso, e as inscrições deverão ser realizadas na página do Sisu na internet. Para concorrer é preciso não ter tirado zero na redação. Durante o período de inscrição, o Sisu calcula uma vez por dia a nota de corte para cada curso, com base no número de vagas disponíveis e nas notas dos candidatos inscritos. O candidato pode, durante o período de inscrição, modificar sua opção quantas vezes quiser, mas o sistema considera a última inscrição concluída.
Os pesos e as notas mínimas estabelecidas pela Unemat relativas a cada curso, constam no Anexo I do edital de seleção que pode ser acessado em: www.unemat.br/vestibular
Os aprovados na Seleção Unificada deverão fazer as matriculas na Supervisão de Apoio ao Acadêmico do câmpus em que fará o curso, no calendário a ser disponibilizado pelo Sisu.
Lista de Espera:
Após as chamadas regulares do processo seletivo, o Sisu disponibilizará às instituições participantes uma Lista de Espera, para participar desta lista o candidato deverá manifestar o interesse no prazo especificado no cronograma do processo de seleção.
Vagas da Unemat:
Para ingresso no primeiro semestre de 2017, com início em 03 de abril, a Unemat adotará as notas do Enem pelo Sisu para 58 cursos totalizando 2.340 vagas.  Do total de cursos oferecidos pela Unemat, somente o curso de Bacharelado em Medicina iniciará o semestre letivo em 23 de junho.
Os interessados poderão concorrer em uma das quatro categorias: Ampla Concorrência: 40% do total das vagas; Escola Pública: 30% das vagas são destinadas para candidatos que se enquadrarem como estudantes de Escola Pública; PIIER/Negros: 25% das vagas para candidatos que se autodeclaram negros; PIIER/Indígenas: 5% das vagas são destinadas para candidatos indígenas.
Para mais informações e editais acesse: www.unemat.br/vestibular

http://www.mt.gov.br/-/5688791-estudantes-que-fizeram-o-enem-poderao-concorrer-a-2.340-vagas-na-unemat-pelo-sisu

Lei obriga as escolas a informar aos pais e/ou responsáveis sobre a ausência de discente

LEI Nº          10.509,          DE   18   DE              JANEIRO               DE 2017.

Autor: Deputado Mauro Savi
Dispõe sobre a obrigatoriedade de as escolas públicas e particulares do Estado de Mato Grosso, que ofertam a Educação Básica, informar aos pais e/ou responsáveis sobre a ausência de discente em sala de aula imediatamente após constatação.

A ASSEMBLEIA LEGISLATIVA DO ESTADO DE MATO GROSSO, tendo em vista o que dispõe o art. 42 da Constituição Estadual, aprova e o Governador do Estado sanciona a seguinte Lei:

Art. 1º  As escolas públicas e particulares do Estado de Mato Grosso que ofertam a Educação Básica ficam obrigadas a informar aos pais e/ou responsáveis sobre a ausência do discente em sala de aula imediatamente após a constatação desta.

Parágrafo único  De acordo com o art. 21 da Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (Lei nº 9.394/96), a Educação Básica escolar brasileira compõe-se de:

I - Educação Infantil (0 a 5 anos);
II - Ensino Fundamental (6 a 14 anos);
III - Ensino Médio (15 a 18 anos).

Art. 2º  Esta Lei entra em vigor na data de sua publicação, revogadas as disposições em contrário.

Palácio Paiaguás, em Cuiabá,  18  de   janeiro   de 2017, 196º da Independência e 129º da República.

Enem passará a ser exclusivo para acesso às universidades

O Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) será usado exclusivamente para o acesso à educação superior. A novidade foi anunciada nesta quarta-feira, 18, pelo ministro da Educação, Mendonça Filho, durante coletiva para a divulgação dos resultados do Enem de 2016 e anúncio de outras mudanças. A mudança valerá já para a próxima edição do exame.
Com a mudança, o exame deixa de ser instrumento de certificação de ensino médio para maiores de 18 anos. A partir de agora, essa atribuição será do Exame Nacional para Certificação de Competências de Jovens e Adultos (Encceja), que hoje é direcionado a estudantes do ensino fundamental em idade irregular (a partir de 16 anos). Dos 8,6 milhões de inscritos no último Enem, cerca de 1,2 milhão queriam somente a certificação do ensino médio e poucos mais de 7,7% deles conseguiram a nota mínima.
“Não dá mais para aplicar uma avaliação tão abrangente, que exige mais do que o necessário, àqueles que têm objetivos distintos, impondo um ônus para quem não pensa no ensino superior”, disse. “A gente vai buscar algo mais enquadrado na demanda e estender aos apenados nas penitenciárias, assunto que levei à presidente do STF [Supremo Tribunal Federal], ministra Carmem Lúcia.”
O Enem, assim como o Encceja, é aplicado pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep). O resultado final do Enem de 2016 divulgado nesta quarta-feira, 18, aponta para um dos piores desempenhos na história do exame, especialmente em linguagens, com quase mil notas zero e um único candidato a atingir a nota máxima, acertando entre 800 e 900 questões. 
“O desempenho em todas as áreas está absolutamente estagnado. Não estamos conseguindo que nossos alunos do ensino médio aprendam mais desde 2008”, informou a presidente do Inep, Maria Inês Fini. Segundo ela, o Enem não foi criado para certificar o ensino médio e usava o Encceja como matriz para uma dupla função, que incluía o acesso às universidades. O fim dessa duplicidade pode ajudar nos próximos resultados.
 “Tudo isso reflete aquilo que a gente tem colhido nos principais mecanismos de avaliação, como o Programa Internacional de Avaliação de Alunos (Pisa) e o Sistema de Avaliação da Educação Básica (Saeb)”, avaliou o ministro Mendonça Filho. Para ele, a educação básica no Brasil não apenas estagnou, mas piorou. “Precisamos de reformas estruturais rumo a uma educação de qualidade, valorizando o professor e o conteúdo oferecido aos alunos. O projeto do Novo Ensino Médio, em tramitação no Congresso Nacional, tem também esse objeto”, concluiu.
Assessoria de Comunicação Social 


http://portal.mec.gov.br/component/content/article?id=44171

MT: Escolas estaduais têm ótimo desempenho no Enem 2020

As escolas estaduais Liceu Cuiabano, Presidente Médici e André Avelino, de Cuiabá, estão entre as melhores colocadas no estado, com a aprov...