domingo, 25 de agosto de 2013

Multisseriação e a formação docente

No início de julho, o MEC instituiu a Escola da Terra, ação do Programa Nacional de Educação do Campo (Pronacampo) que oferece formação continuada aos professores que atuam em escolas no campo e em comunidades quilombolas. A ideia é oferecer um curso com carga mínima de 180 horas a docentes que lecionam nessas áreas, especificamente nos anos iniciais do ensino fundamental e, sobretudo, para as turmas multisseriadas. Essa descrição, publicada no Diário Oficial da União, faz perguntar o porquê desse foco. Do total de escolas do campo (76.229), 71,37% (54.405) têm salas com estudantes de diversas séries, que somam 22% (1.384.654) das matrículas totais do campo (6.293.885), segundo o Censo Escolar Inep 2011. O desafio hoje é similar ao de seis anos atrás, quando 70% dessas instituições eram multisseriadas.

Ainda de acordo com o Censo Escolar, atualmente existem 342.845 professores no campo. Desse total, apenas 53,23% (182.526) possuem o ensino superior. Mas, por enquanto, são 7,5 mil vagas de formação continuada do programa Escola da Terra previstas para 2013. Ou seja, a princípio, o projeto pode atender 4,1% do conjunto de docentes do campo com formação universitária.
Neste ano, as vagas serão distribuídas por sete universidades federais, segundo a Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização, Diversidade e Inclusão (Secadi) do MEC. E, para ser instituída em uma cidade ou estado, a formação continuada da Escola da Terra depende da adesão das secretarias estaduais ou municipais de Educação por meio do Sistema Integrado de Monitoramento Execução e Controle (Simec).
Leia mais>
http://revistaeducacao.uol.com.br/textos/196/campo-das-necessidades-293544-1.asp

Campus da UFMT Várzea Grande funcionará em 2014

Almeja-se que a partir de agosto de 2014, 300 alunos já estarão em aulas no campus da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) em Várzea Grande. A projeção é da pró-reitora Eliana Rondon, que encabeça os trâmites necessários para o início das obras da instituição. O processo licitatório para a construção será publicado até o final deste mês. Com o endereço já escolhido, o campus de Várzea Grande será localizado na avenida Projetada A do bairro Chapéu do Sol, na região do Pari.
 
“Uma vez licitadas as obras, é necessário também o aporte da infraestrutura pelo município de levar água, acesso e energia ao local. Até o momento, as autoridades têm me passado respostas positivas”, conta. A universidade disponibilizará inicialmente cinco cursos de engenharia e a proposta é que a médio prazo outros cinco sejam implantados. “Consideramos a possibilidade de no futuro centralizar no campus de Várzea Grande todas as faculdades de engenharia”.
leia mais:
http://www.24horasnews.com.br/m440093/ufmt_de_vrzea_grande_j_tem_data_para_funcionar.html

Crianças aprendem jogando

Com pontos e medalhas, exercícios passam por jogo e ganham atenção em aula de escola pública de São Paulo

Um texto ou figura, uma pergunta e as alternativas para resposta. Na prática, o jogo educacional Ludz segue o padrão mais tradicional de qualquer exercício escolar, no entanto, alunos do 5º ano da Escola Estadual Henrique Dumont Villares, em São Paulo, dizem gostar do teste online tanto quanto de educação física e, quem tem internet em casa, conta que prefere usar o tempo livre para responder mais questões a entrar em redes sociais.
Ao acompanhar uma aula, a diferença parece estar em elementos simples que fazem com que a atividade se pareça a um vídeo-game. “Tô lendo rápido porque daqui a pouco aparece a velha do tempo”, explica Arthur Sabbadini, de 10 anos, se referindo a um desenho que aparece antes do tempo limite para responder expirar. Ele também faz questão de clicar em um botão que pode gerar uma dica, eliminar uma alternativa errada ou apenas gerar um desenho de um estudante com um comentário sem utilidade para achar a resposta. “É o colega”, explica Arthur. “Às vezes ele dá uma dica, mas às vezes só fala qualquer coisa.”
http://ultimosegundo.ig.com.br/educacao/2013-08-18/alunos-preferem-jogo-que-e-bateria-de-testes-educacionais-a-facebook.html

Prêmio para os Professores

Foi aberta a chamada de candidaturas para a terceira edição do Prêmio UNESCO-Hamdan Bin Rashid Al-Maktoum para melhores práticas e desempenhos no aprimoramento da eficácia dos docentes.

O prêmio é concedido a cada dois anos em reconhecimento às iniciativas que contribuem para melhorar as práticas educacionais ao redor do mundo, preferencialmente em países em desenvolvimento e em comunidades marginalizadas ou desfavorecidas.
O Prêmio UNESCO-Hamdan tem como objetivo contribuir para a melhoria da qualidade do ensino por meio da capacitação de docentes. O Prêmio foi instituído em 2008 e é financiado pelo xeique Hamdan Bin Rashid Al-Maktoum, dos Emirados Árabes Unidos (EAU).
O valor total da premiação é de 270 mil dólares, que serão divididos entre os três primeiros lugares. Os projetos vencedores do prêmio serão aqueles que tenham contribuído de maneira notável para a qualidade do ensino e da aprendizagem, por meio de atividades relacionadas aos docentes.
O prazo para apresentação de candidaturas vai até 31 de outubro de 2013.
Para apresentar uma candidatura, consulte o guia (PDF, em inglês) e o formulário de candidatura (.DOC, em inglês).

Mais informações sobre o Prêmiowww.unesco.org/new/es/hamdan-prize (em espanhol)

http://www.unesco.org/new/pt/brasilia/about-this-office/single-view/news/nomination_call_for_unesco_hamdan_prize_2013_2014-6/#.Uhfm8dLVAZ4

Piso salarial de professores da educação básica para 2020: R$ 2.886,24

Dyelle Menezes, do Portal MEC O piso salarial dos profissionais da rede pública da educação básica em início de carreira foi reajustado...