quarta-feira, 25 de setembro de 2013

SME divulga inscrições deferidas e indeferidas das eleições para gestores


A Secretaria Municipal de Educação de Cuiabá 
divulga a relação dos candidatos com inscrições 
deferidas e indeferidas nas Eleições 2013 
para gestores de creches e escolas da rede municipal.
Serão escolhidos os diretores de escolas 
e creches, coordenadores pedagógicos 
e secretários escolares.
A eleição será realizada no dia 29 de novembro, 
das 6h30 às 18h30 nas creches, das 8h às 18h 
nas escolas com dois turnos de funcionamento 
e das 8h às 20h nas escolas com três turnos.

O resultado final da eleição será divulgado no dia 6 de dezembro, no mural 
do saguão de entrada da Secretaria Municipal de Educação. 

Clique aqui para ver as inscrições deferidas e indeferidas.


Fonte:  Rosane Brandão  3645-6578
http://www.cuiaba.mt.gov.br/noticias?id=7517

Senado: CCJ aprova Projeto de Lei do Plano Nacional de Educação - PNE

O projeto de lei que institui o Plano Nacional de Educação (PNE) foi aprovado na manhã desta quarta-feira, 25, pela Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) do Senado Federal. Agora, o projeto, que tramita naquela casa do Congresso Nacional como PLC 103/2012, será analisado pela Comissão de Educação, Cultura e Esporte. Em maio, o texto ganhou o aval da Comissão de Assuntos Econômicos.

O PNE determina a destinação a políticas educacionais de pelo menos 10% do produto interno bruto (PIB). Além disso, estabelece uma série de metas a serem cumpridas nos próximos dez anos. Destacam-se entre elas a erradicação do analfabetismo, a oferta de educação em tempo integral e o estabelecimento de prazos máximos para alfabetização de crianças. A proposta reúne 14 artigos e 20 metas.

Um dos obstáculos à votação da matéria era o impasse em torno da meta 4, que visa a garantir o acesso à educação básica dos estudantes com deficiência na faixa etária de 4 a 17 anos. Após negociações entre senadores, Ministério da Educação e entidades de apoio, como a Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae), o relator do projeto e presidente da CCJ, senador Vital do Rêgo (PMDB-PB), chegou a um texto de consenso.

Assessoria de Comunicação Social, com informações da Agência Senado

Jovem roda o Brasil em busca de boas práticas dentro e fora de escolas

Caio Dib conversa com aluno da Escola Sesc, RJ
Ana Carolina MorenoDo G1, em São Paulo
Uma viagem de cinco meses que o jovem paulista Caio Dib, de 22 anos, fez neste ano por escolas de várias partes do Brasil vai virar um livro de boa práticas de ensino. Em março, ele trocou o escritório pelas estradas do Brasil no projeto Caindo no Brasil, criado e financiado por ele para mapear experiências inovadoras que têm tido efeitos positivos nos alunos do país. Entre março e agosto, ele passou por 58 cidades de 12 estados e do Distrito Federal. Depois de rodar 17 mil quilômetros pelo país em aviões, ônibus, carros e barcos, Caio agora trabalha para reunir, em um livro, dezenas de práticas que considera úteis para outros educadores e escolas brasileiras.
Viajando sozinho e se hospedando em hotéis, pousadas, albergues ou de favor na casa de desconhecidos, Caio conta que não privilegiou apenas as escolas, e procurou histórias em todas as partes das cidades que visitava, algumas delas sem pesquisa ou agendamento prévio. Formado em jornalismo, ele explicou ao G1 que, além da intenção de trabalhar como disseminador de boas ideias na educação brasileira, a viagem também serviu para preencher uma carência pessoal.
"Eu trabalhava em empresas nacionais e comecei a ficar angustiado. Eu fazia conteúdo sobre o Brasil inteiro, mas não conhecia outras oportunidades. Viajava para marcar ponto turístico e praia bonita, não para olhar a realidade e as pessoas", disse o jovem jornalista, que usou a própria poupança para custear a viagem, com cerca de R$ 15 mil, ou R$ 100 por dia.

http://g1.globo.com/educacao/noticia/2013/09/jovem-roda-o-brasil-em-busca-de-boas-praticas-dentro-e-fora-de-escolas.html

Prêmios a professores diminuem evasão e promovem impacto além da escola

Ivan Nunes Gonçalves e Vera Beatriz Hoff Pagnussatti são professores campeões. Ambos colecionam prêmios nacionais de educação e são exemplos não só dentro de suas comunidades. Ela auxiliou a zerar os números de abandono no ensino médio do colégio onde trabalha; ele criou um projeto escolar que ajudou a conscientizar o povo de uma pequena cidade a respeito do lixo. Hoje, a coleta seletiva abrange toda a comunidade. No meio do contexto duvidoso da educação brasileira – em que números do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (IDEB) mostram melhoras, mas relatórios internacionais como o do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) exibem a maior taxa de evasão do ensino fundamental na América do Sul –, Ivan e Vera são exemplos de que o reconhecimento aos docentes contribui para a qualidade da educação.​
leia mais:
http://noticias.terra.com.br/educacao/premios-a-professores-diminuem-evasao-e-promovem-impacto-alem-da-escola,31cdbbffab051410VgnVCM5000009ccceb0aRCRD.html

Anos Finais precisam ser repensados

Anna Helena Altenfelder, Superintendente do Centro de Estudos e Pesquisas em Educação, Cultura e Ação Comunitária
Nos últimos anos, as políticas e os programas de governos estaduais, municipais ou o federal se concentram na educação infantil, no ciclo da alfabetização ou no ensino médio. Mas a trajetória escolar que os une – os quatro últimos anos do ensino fundamental, chamados de anos finais ou fundamental II – tem sido constantemente esquecida.
Esse “esquecimento”, lembra a pedagoga Anna Helena Altenfelder, pode custar caro. Todo o investimento feito nas etapas iniciais pode se perder. “Se não encararmos o desafio de repensar o fundamental II, vamos perder esforços”, ela diz, categórica. Para ela, o país age como se a qualidade dos anos iniciais fosse naturalmente chegar aos anos finais.
Segundo ela, que é doutora em psicologia e superintendente do Centro de Estudos e Pesquisas em Educação, Cultura e Ação Comunitária (Cenpec), essa lógica está equivocada. “Os indicadores mostram o contrário, estamos perdendo as conquistas”, pondera.
A pesquisadora, que atua também como formadora de professores, conversou com o iG sobre o tema no Congresso “Educação: agenda de todos, prioridade nacional”, organizado pelo movimento Todos pela Educação.
Confira os principais trechos da entrevista:
http://ultimosegundo.ig.com.br/educacao/2013-09-24/anos-finais-do-ensino-fundamental-precisam-ser-repensados-diz-pesquisadora.html

Educação Infantil em Universidades

A proposta do Ministério da Educação (MEC) de transferir para os municípios a responsabilidade pelas unidades de educação infantil pertencentes às universidades federais causou divergência, nesta terça-feira ( 24), em audiência da Comissão de Educação. O governo acredita que a medida deve contribuir para as ações de expansão do ensino infantil (até 5 anos). Para os representantes do setor, contudo, os alunos de graduação e pós-graduação que fazem estágio nessas escolas podem ter perdas com a medida.
Hoje, existem no Brasil 17 escolas de educação básica vinculadas a 16 instituições federais de ensino superior - unidades de educação infantil e os chamados colégios de aplicação. O mais antigo deles, ligado à Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), foi criado em 1948.
leia mais:
http://www2.camara.leg.br/camaranoticias/noticias/EDUCACAO-E-CULTURA/452852-GOVERNO-E-UNIVERSIDADES-DISCORDAM-SOBRE-MUNICIPALIZACAO-DO-ENSINO-INFANTIL.html

Ponte em Cuiabá quebra com peso de ônibus onde estavam 26 alunos

Estudantes de uma região rural de Cuiabá levaram um susto no início da tarde desta terça-feira (24), quando estavam a caminho da escola. O ônibus em que eles estavam não conseguiu passar pela ponte sobre o rio Bandeira, numa estrada que dá acesso ao Distrito de Nossa Senhora da Guia, que não resistiu ao peso do veículo, e quebrou. Ninguém ficou ferido.
Na hora do acidente, 26 estudantes estavam no veículo, que ficou preso à ponte de madeira.  O motorista do ônibus, Nelson Paulino Dantas, disse que todos ficaram muito assustados. "Quando entrei na cabeça da ponte, a frente pesou e as tábuas quebraram. Aí caiu a frente do ônibus. Foi um susto. Alguns alunos começaram a chorar, uns ficaram desesperados, tem toda a reação, né”, contou.
leia mais:
http://g1.globo.com/mato-grosso/noticia/2013/09/ponte-em-mt-quebra-com-peso-de-onibus-onde-estavam-26-alunos.html

Piso salarial de professores da educação básica para 2020: R$ 2.886,24

Dyelle Menezes, do Portal MEC O piso salarial dos profissionais da rede pública da educação básica em início de carreira foi reajustado...