quinta-feira, 10 de outubro de 2013

Deputados e professores criticam formação de oligopólios no ensino superior, vide Kroton. MEC falta ao debate.

Deputados e professores criticaram a formação de oligopólios no ensino superior no Brasil e a transformação da educação em negócio, em audiência pública na Comissão de Educação nesta quinta-feira (10). A comissão debateu o impacto na qualidade do ensino provocado pela fusão entre as empresas Kroton Educacional e Anhanguera Educacional, anunciada no primeiro semestre. Porém, para grupos privados da educação, as instituições são responsáveis por democratizar o acesso ao ensino superior.

Zeca Ribeiro / Câmara dos Deputados
Audiência pública sobre a fusão entre as Empresas Kroton Educacional do Grupo Pitágoras, e Anhanguera Educacional, e seu impacto na qualidade do Ensino Brasileiro. Dep. Ivan Valente (PSOL-SP)
Valente: fundos de investimentos não se preocupam com qualidade da educação, mas sim com os lucros.
A fusão dessas empresas ainda está sujeita à aprovação do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) e, se concretizada, poderá criar o maior grupo educacional do mundo, com um capital aberto de R$ 12 bilhões. Juntas, as empresas terão mais de 800 unidades de ensino superior e quase 1 milhão de alunos, sendo 486 mil no ensino presencial e 516 mil no modelo de ensino a distância. O debate foi proposto pelos deputados Ivan Valente (Psol-SP), Chico Alencar (Psol-RJ), Jean Wyllys (Psol-RJ) e Celso Jacob (PMDB-RJ).
A Confederação Nacional dos Trabalhadores em Estabelecimentos de Ensino distribuiu comunicado em que informa ser contrária à fusão. A entidade destaca que o número de alunos que a nova empresa Anhanguera-Kroton vai atender corresponde a 20% das matrículas no ensino superior no Brasil, grande parte das quais mantidas por investimentos públicos, por meio de programas como o Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) e o Universidade para Todos (ProUni). No caso da educação a distância, a nova empresa concentrará 34% das matrículas.
Redução de custos
A professora e pesquisadora da Universidade de Brasília (UnB) Cristina Helena de Carvalho criticou a participação de fundos de investimentos de especuladores nacionais e internacionais na gestão de empresas educacionais. “Não se dá mais satisfação apenas ao dono da escola, mas ao conjunto de investidores”, destacou. “Para gerar lucros, há exigência de reestruturação, que envolve redução de quadro de pessoal, baixos salários, demissões dos mais qualificados e precarização das relações de trabalho”, completou.
Segundo ela, o setor educacional está se tornando em oligopólio, com a compra das instituições pequenas pelas gigantes da educação. Ela ressaltou que, desde 2003, tramitam no Congresso propostas que limitam a participação de capital estrangeiro nas instituições de educação, mas nenhum projeto nesse sentido foi aprovado pelos parlamentares.
Zeca Ribeiro / Câmara dos Deputados
Audiência pública sobre a fusão entre as Empresas Kroton Educacional do Grupo Pitágoras, e Anhanguera Educacional, e seu impacto na qualidade do Ensino Brasileiro. Presidente da Federação dos Professores do Estado de São Paulo (FEPESP), Celso Napolitano
Celso Napolitano, representante de professores de SP: a educação virou um "grande negócio".
“Nenhum fundo de investimento questiona como pode melhorar a educação, mas sim como pode aumentar os lucros dos acionistas”, salientou o deputado Ivan Valente. “Estudante é o negócio, e aí reside o grande problema.” Para ele, se a única lógica é a maximização de lucros, “é evidente que a qualidade do ensino vai cair”.
Segundo o deputado Jean Wyllys, alunos têm saído das faculdades sem habilidades e competências mínimas. Para ele, isso é efeito da “mercantilização da educação”, com a educação sendo entregue a investidores privados, sem nenhum tipo de controle.
O presidente da Federação dos Professores do Estado de São Paulo, Celso Napolitano, também criticou a “transformação da educação em um grande negócio”, além de ter criticado a forma de financiamento do Fies, que, na visão dele, “significa dinheiro nas mãos das instituições particulares sem qualquer tipo de contrapartida”. Ele reclamou ainda do excesso de ensino a distância oferecido pelas instituições privadas. Para ele, isso “é economia na folha de pagamento”.

Malala agradece prêmio Sakharov e diz que seguirá "dando voz às crianças"

A jovem paquistanesa Malala Yousafzai agradeceu nesta quinta-feira o Parlamento Europeu (PE) pela concessão do prêmio Sakharov de Liberdade de Consciência e assegurou que o mesmo representa uma grande oportunidade para continuar "dando voz às crianças que não têm".
"Muito obrigado União Europeia, é um grande honra receber este prêmio. Não é só um reconhecimento, é também um respaldo ao meu trabalho a favor da educação", disse Malala nesta quinta-feira à Agência Efe em Nova York após o anúncio do prêmio.
A jovem de 16 anos, que foi baleada há um ano pelos talibãs por lutar pelos direitos das meninas à educação, se encontra em Nova York para promover seu novo livro, intitulado "Eu Sou Malala".
O Prêmio Sakharov, que será entregue na sessão plenária de novembro do PE em Estrasburgo, já reverenciou personalidades como o líder sul-africano Nelson Mandela, opositores cubanos como as Damas de Branco e o ativista Guillermo Fariñas.
para saber o que aconteceu com Malala, clique 
http://noticias.uol.com.br/ultimas-noticias/efe/2013/10/10/malala-agradece-premio-sakharov-e-diz-que-seguira-dando-voz-as-criancas.htm

Greve na Rede Estadual completa sessenta dias.

LISLAINE DOS ANJOS
DA REDAÇÃO
Uma reunião entre deputados estaduais e representantes do Sindicato dos Trabalhadores no Ensino Público de Mato Grosso (Sintep-MT), na manhã desta quinta-feira (10), terminou sem grandes avanços que indiquem o fim da greve, que hoje completa dois meses e é uma das maiores da história do Estado.

Durante a reunião, na Secretaria de Educação, no CPA, foi apresentada aos sindicalistas a proposta de encaminhamento de um projeto de lei, para ser votado na Assembleia Legislativa (AL), que garante a dobra salarial de ganho real da categoria em até dez anos e o aumento da hora-atividade em três anos.

A medida visa a assegurar que, mesmo após o fim do Governo Silval Barbosa (PMDB), o acordo seja cumprido pelos próximos gestores.

A categoria, porém, “bateu o pé” e afirmou que o encaminhamento do documento não garante nada e exige do Estado a implantação imediata da proposta.

Agora, os representantes da categoria estão em uma reunião ampliada com os professores, no auditório do Sintep, a fim de repassar o que foi discutido na reunião.

Uma assembleia-geral está agendada para as 14h, na Escola Estadual Presidente Médici, em Cuiabá. 

Mas, o presidente do sindicato, Henrique Lopes, já havia declarado que, caso o Estado não fizesse uma nova proposta, a diretoria não colocaria em discussão o encerramento da greve durante a plenária.

continue lendo:
http://www.midianews.com.br/conteudo.php?sid=3&cid=175454

EMEB Hélio de Souza Vieira: Parabéns aos campeões do 2° Jogos Escolares

Os alunos da Escola Municipal de Educação Básica Hélio de Souza Vieira campeões do 2° Jogos Escolares da Secretaria Municipal de Educação nas modalidades futsal e judô receberam nesta terça-feira (08) suas respectivas medalhas e troféus.
A escola, localizada no bairro Praeiro, foi a melhor colocada na classificação geral dos jogos, somando 62 pontos. O segundo lugar na classificação geral ficou com a escola Ranulpho Paes de Barros, que teve 47 pontos.
O secretário municipal de Educação, Gilberto Gomes de Figueiredo, participou da solenidade de entrega da premiação e parabenizou a escola pela belíssima atuação e desempenho nos jogos.
“Toda grande conquista não vem de graça, mas sim com muita dedicação e empenho. E foi o que aconteceu nessa escola, que contou com uma equipe dedicada que trabalhou junto para conquistar essa vitória”, disse o secretário.
Conforme destacou o secretário, “toda conquista também tem seu mérito e não deve fica só nas medalhas”, por isso resolveu dar pessoalmente uma boa notícia aos alunos. “Estou aqui para assegurar que essa promessa seja cumprida. No próximo ano vamos fazer uma ampla reforma nessa escola, incluindo troca de telhado e de toda a parte elétrica e vamos devolvê-la para vocês com ar-condicionado em todas as salas de aula”.
Pelo menos 34 escolas da rede municipal de Cuiabá participaram dos jogos escolares, contando com a participação de 1.200 alunos, que competiram em oito modalidades.
A escola Hélio de Souza contou com a participação de 78 alunos nos jogos e vários deles conquistaram medalhas. No futsal ficou em primeiro lugar no masculino e feminino da categoria B e em terceiro lugar no feminino da categoria A.
No judô a escola também levou a melhor. Na categoria A conquistou o primeiro lugar no masculino e no feminino. Na categoria B ficou com o primeiro lugar no masculino e segundo no feminino.
Segundo a diretora da escola, Norma Prates, a boa colocação dos alunos nos jogos foi conquistada devido muita dedicação e esforço não só dos alunos mas também de toda a equipe escolar. “Vamos continuar trabalhando e nos esforçando para que no próximo ano nossos alunos possam participar e trazer mais vitórias para nossa escola”.
A secretária-adjunta de educação, Marioneide Angélica Kliemaschewsk, também elogiou a participação dos alunos nos jogos e destacou a importância de incentivar a atividade esportiva nas escolas. “É sempre bom lembrar que lugar de criança e adolescente é na escola, estudando e praticando atividades esportivas”, disse a secretária.
A equipe da Secretaria Municipal de Educação foi recepcionada com uma grande festa feita pelos alunos, que estavam ansiosos para receber a premiação.
A aluna do 5° ano, Mariana Letícia Fagundes, 10 anos, capitã do time feminino de futsal, categoria B, foi uma das artilheiras dos jogos. Com quatro gols marcados ela ajudou o time a conquistar o primeiro lugar. “Não via a hora de receber a minha medalha e levar para casa para mostrar para minha mãe”. A aluna diz que aprendeu a jogar futebol na escola, participando do Programa Mais Educação, onde também aprendeu sobre os benefícios do esporte. “Além de ser educativo ele também faz bem para a saúde”.
Com duas medalhas estampadas no peito, o pequeno Vinícius Arruda, 10 anos, era só felicidade. Goleiro do time masculino da categoria B, ele foi campeão no futsal e no judô. O aluno que também foi campeão no futsal pelos jogos escolares em 2012, diz que sonha em ser jogador de futebol e se espelha no jogador português Cristiano Ronaldo.
Na escola Hélio de Souza não foram apenas os pequenos atletas que brilharam nos jogos escolares, a torcida também foi bastante atuante. Após descobrir que tem problemas de saúde, a aluna do 6° ano Anna Leodora Miranda, 11 anos, foi proibida pelos médicos de praticar esportes, mas ela não quis ficar de fora dos jogos e se tornou a uma das principais incentivadoras dos colegas nos jogos. “Mesmo com problema de saúde eu participo de todos os projetos da escola. No esporte eu fico na torcida, apoiando meus colegas que são muito dedicados e merecem uma boa torcida”.

Fonte:  Rosane Brandão
Fotos: Jorge Pinho. 
Para ver outras fotos http://jorgefotografosme.blogspot.com.br

http://www.cuiaba.mt.gov.br/noticias?id=7614

Prêmio Inovação: Mecanismo de avaliação promove mudanças em município paraense

Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o pequeno município de Gurupá, na região de Marajó, no estado do Pará, alcançou uma população de 30,7 mil habitantes em 2013. Como ocorre em diversas cidades com esse perfil Brasil afora, não havia qualquer instrumento local para diagnosticar e verificar os indicadores educacionais e socioeconômicos. Mas essa realidade começou a ser transformada em 2009, com a implementação da Prova Gurupá.

A experiência se iniciou por meio de reuniões junto às comunidades escolares, abordando a relevância do acompanhamento do processo educacional. A partir daí se estabeleceu o planejamento pedagógico coletivo em toda a rede de ensino. A próxima etapa foi a formalização, por meio de decreto municipal, de um instrumento de avaliação do desempenho em língua portuguesa e matemática dos alunos da rede municipal de ensino fundamental. Nascia a prova Gurupá, que posteriormente foi aprovada pelo Conselho Estadual de Educação do Pará e cujos resultados obtidos já demonstram o sucesso da intervenção pedagógica para a melhoria da qualidade da educação básica na cidade.

Em 2007, o índice de desenvolvimento da educação básica (Ideb) para os anos iniciais em Gurupa era 2,1, abaixo da meta estabelecida pelo Ministério de Educação (2,5). Passados dois anos, em 2009, ano da implantação da Prova Gurupá, o Ideb local já estava acima da meta prevista (2,8), chegando a 3,0. Na última edição do Ideb, em 2011, o aprimoramento foi ainda mais significativo, com um índice de 4,1, ante uma meta de 3,2.

Esses resultados foram também determinantes para a Prova Gurupá ser um dos projetos vencedores do Prêmio Inovação em Gestão Educacional 2011, promovido pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep) com a finalidade de identificar, conhecer e tornar públicos experimentos bem sucedidos das redes e sistemas de ensino municipais.

Segundo a secretária municipal de Educação de Gurupá, Betiza Maria Ferreira de Almeida, dentre os benefícios de vencer o Prêmio Inovação o principal foi a possibilidade de ser implementado, por meio de um projeto de lei, o Sistema de Avaliação Municipal de Gurupá (SIAMG). “Com a implantação do sistema, atualizaremos a matriz curricular de conteúdos da rede municipal, envolvendo momentos de formação pedagógica, construção e reestruturação dos projetos políticos pedagógicos locais, como o mecanismo de consolidação da melhoria do Ideb”, complementou Betiza.

Prêmio — As inscrições ao Prêmio Inovação em Gestão Educacional 2013 foram prorrogadas e permanecem abertas até 30 de outubro. Podem concorrer experiências desenvolvidas por órgãos municipais gestores do ensino. Elas devem estar em vigência e implantadas há pelo menos 18 meses, além de já ter apresentado resultados. Os dirigentes municipais podem inscrever até quatro experiências, uma para cada área temática do prêmio: Gestão pedagógica — relacionada ao planejamento e à organização do sistema educacional do município e das unidades escolares quanto ao gerenciamento de recursos e à elaboração e execução de projetos pedagógicos; Gestão de pessoas — relacionada ao uso de métodos e técnicas que envolvam a formação e o desenvolvimento dos profissionais, bem como ao incentivo à participação em decisões políticas e técnicas e valorização de mérito;Planejamento e gestão — relacionada ao uso de métodos e técnicas de gestão pública na educação do município;Avaliação e resultados educacionais — relacionada ao desenvolvimento e ao uso de instrumentos e de tecnologias de avaliação e de monitoramento dos processos e resultados educacionais do município e seu uso na orientação em tomadas de decisões de gestão e de práticas educativas.

Assessoria de Comunicação Social do Inep
http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_content&view=article&id=19146

Lei de Responsabilidade Educacional é criticada em debate na Câmara

Gestores ligados à educação pública em âmbito federal, estadual e municipal disseram que modelo prejudica estudantes ao impedir o repasse de recursos.
Gabriela Korossy / Câmara dos Deputados
Audiência pública sobre o Projeto de Lei Complementar 15/11, que estabelece normas para a cooperação entre a União, os Estados, o Distrito Federal e os Municípios, com relação à responsabilidade na gestão pública da educação escolar brasileira. Secretário de Articulação com os Sistemas de Ensino (SASE/MEC), Binho MarquesMarques: proposta penaliza os alunos com a suspensão do repasse para o ente federado.
Representantes da área de educação dos governos estaduais, municipais e federal criticaram, nesta terça-feira (8), o projeto que cria a chamada "Lei de Responsabilidade Educacional" (PLP 15/11), que determina que os estados, municípios e DF têm que cumprir uma série de medidas, sob pena de deixarem de receber as transferências voluntárias da União. Esse dinheiro é repassado pelo governo federal por meio de convênios ou outros instrumentos parecidos com o objetivo da promover a realização de obras e serviços.
Durante debate na Comissão de Educação nesta terça-feira (8), o secretário de Articulação com os Sistemas de Ensino, Binho Marques, explicou por que o Ministério da Educação é contra o projeto. “O PLP 15 é um dos muitos projetos que tramitam aqui de Lei de Responsabilidade Educacional. O problema básico do PLP 15 é o fato de que ele penaliza, na realidade, os alunos, a população, quando um ente federado não cumprir um dos dez itens que ele recomenda”, alertou.
Um dos itens questionado é o que estabelece que todos os municípios precisam ter planos plurianuais de formação de professores. Binho Marques afirma que 70% dos municípios têm dificuldades de fazer isso.

leia mais:

Veja a íntegra da proposta:

Reportagem - Renata Torres
Edição - Rachel Librelon







http://www2.camara.leg.br/camaranoticias/noticias/EDUCACAO-E-CULTURA/454053-PROPOSTA-PARA-LEI-DE-RESPONSABILIDADE-EDUCACIONAL-E-CRITICADA-EM-DEBATE.html

Jogo digital criado no Piauí apoiará educação de autistas

Estudantes autistas de Teresina testaram e aprovaram um jogo digital sobre cores, criado por dois professores e três estudantes do curso de tecnólogo de análise e desenvolvimento de sistemas do Instituto Federal do Piauí, campus Teresina central. A primeira ferramenta desenvolvida pela equipe de pesquisa é para ensinar as cores primárias – vermelho, amarelo e azul –, mas o jogo, denominado G-TEA, será ampliado para possibilitar o ensino de letras, números, formas, sons, animais.

Um dos criadores do jogo, o professor Otílio Paulo da Silva Neto, explica que o G-TEA é uma ferramenta que auxilia a aprendizagem de estudantes com Transtorno do Espectro Autista (TEA), baseada na metodologia de análise do comportamento aplicado. O ensino deve ser conduzido, de preferência, por pedagogos, fonoaudiólogos, psicólogos, psicopedagogos.

Com o G-TEA, o objetivo principal do grupo de pesquisa e criação do instituto é auxiliar os educadores a solucionar as dificuldades do aprendizado das cores por crianças e jovens autistas, mas o jogo pode ser usado de forma ampla na aprendizagem de crianças com ou sem deficiências, diz o professor.

Durante os testes com estudantes da Associação de Amigos dos Autistas (AMA) do Piauí, Otílio da Silva Neto observou que o tablet despertou o interesse imediato das crianças e adolescentes, e o jogo veio depois. O importante para os criadores da ferramenta, diz o professor, é que os alunos brincaram e mantiveram o interesse.

O próximo passo da equipe do instituto federal, formada pelos professores Otílio Paulo e Fernando Santana e pelos alunos Victor Hugo, João Manoel e Gleison Batista, será apresentar o protótipo do G-TEA no Simpósio Brasileiro de Games e Entretenimento Digital (SBGames), que acontecerá de 16 a 18 deste mês, em São Paulo.

Outra decisão tomada pelos pesquisadores e pelo Instituto Federal do Piauí é sobre a distribuição da ferramenta, que será gratuita para qualquer público, por meio de um repositório web.

Ionice Lorenzoni
http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_content&view=article&id=19144

Dia das Crianças: "Me dá o teu contente que eu te dou o meu"


Me dá o teu contente que eu te dou o meu - Cristina Mattoso (org.) - Ed. Verus

Li em um dia e ainda reli algumas páginas depois, para rir mais um pouco. Eu já sabia que as crianças não tinham esse problema do "ser racional o tempo todo" ou "falar isso ou aquilo porque é politicamente correto". Mas não imaginava que todo mundo nasce poeta. Mas, aí crescemos e toda a poesia fica perdida em algum lugar dentro de nós.


O livro foi organizado pela Cristina Mattoso, publicado pela Verus Editora e ilustrado com desenhos de adolescentes da Fundação Síndrome de Down. Prometo que vou seguir o conselho publicado na introdução do livro e, quando eu tiver os meus filhos, compro um caderninho para anotar as pérolas que eles falarem. Deve ser demais ler tudo aquilo depois de alguns anos, né?
O livro é todo feito de falas engraçadas ditas por crianças, com toda a sua inocência, pureza e sinceridade. Essas frases foram organizadas em temas, para facilitar o leitor. Deus, Humor e Família são alguns dos temas da publicação.

Só para dar um gostinho

Aí vão alguns trechos do livro, para vocês morrerem de vontade de ler tudo e correrem para a livraria mais próxima:


"Felipe, que estava com uma infecção urinária, ao sentir muita dor, febre e dificuldade de urinar, protestou, chorando:
- Deus deve tá louco de me fazê tê tanta dor. Eu sou muito pequeno para sofrer tanto!"


"Querido Deus,
Eu aposto que é muito difícil para você amar todas as pessoas do mundo. Na nossa família só tem quatro pessoas e eu nunca consigo..." (da série Cartinhas para Deus)


"Cansado de tanto ter que obedecer, o menino perguntou, impaciente, para a mãe:- Mamãe, até quando a gente é filho?"

veja mais:
http://leituramaisqueobrigatoria.blogspot.com.br/2009/04/me-da-o-teu-contente-que-eu-te-dou-o.html

Ministro decide por desobrigar Governo de MT a destinar 35% do orçamento à Educação

Airton Marques O governador Mauro Mendes (DEM) conseguiu, no Supremo Tribunal Federal (STF), suspender artigo da Constituição Estadual q...