terça-feira, 6 de agosto de 2013

Escolas podem pedir recursos de até R$ 15 mil para custeio

Escolas públicas de educação básica das áreas rurais podem pedir recursos ao Ministério da Educação para manutenção de instalações, pagamento de mão de obra e aquisição de mobiliário escolar. Os recursos para custeio e capital vão de R$ 11,6 mil a R$ 15 mil, de acordo com o número de estudantes matriculados e registrados no Censo Escolar do ano anterior ao pedido, segundo a Resolução nº 32 do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), publicada na segunda-feira, 5.

A destinação de recursos financeiros caberá ao Programa Dinheiro Direto na Escola (PDDE), com depósito em conta bancária específica aberta pelo FNDE. Escolas que tenham de quatro a 50 estudantes receberão R$ 11,6 mil; de 51 a 150, R$ 13 mil; acima de 150, R$ 15 mil. Do total recebido, a escola deve destinar 70% a custeio e 30% a capital.

No item custeio, as escolas podem usar os recursos para obras de reparos em paredes internas e externas, instalação ou reparo de redes hidráulica e elétrica, conserto de janelas e telhados, instalação de pias e vasos sanitários, reforma de mobiliário, pagamento de mão de obra, aquisição de material de construção e perfuração de poços artesianos, entre outros serviços. Dos 70% do custeio, a escola pode destinar até 50% a contratos de serviços de pedreiro, eletricista e marceneiro.

Na parte de capital, que corresponde a 30% dos recursos, as escolas podem comprar equipamentos para cozinha, como fogão a gás, botijões e geladeira; bomba elétrica para poços artesianos ou cisternas; mobiliário escolar — carteiras e mesas para alunos e professores, armários e estantes.
http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_content&view=article&id=18951:escolas-podem-pedir-recursos-de-ate-r-15-mil-para-custeio&catid=208&Itemid=86

Uma mulher líder no reino dos homen

Uma das poucas mulheres em um campo ainda dominado pelos homens, a belga Ingrid Daubechies é a primeira delas a presidir a União Internacional de Matemática (UIM). No Rio para participar do 29º Colóquio Brasileiro de Matemática, que é realizado desde a semana passada no Instituto Nacional de Matemática Pura e Aplicada (Impa), ela acredita que a ciência pode se beneficiar de uma diversidade que vai muito além de uma simples questão de gênero, identificando e atraindo talentos nas mais variadas culturas e origens sociais.
- A matemática é uma forma de aprender sobre as coisas a partir de padrões abstratos, então quanto mais maneiras diferentes de pensar sobre as coisas tivermos, melhor - diz. - Assim, creio que devemos buscar talentos em todo tipo de lugar, e para isso temos que alcançar o maior número possível de pessoas. Claro que acredito e fico feliz em ver cada vez mais jovens mulheres interessadas em ciências e na matemática em particular, mas esta busca não deve se restringir a uma questão de gênero.


Leia mais sobre esse assunto em http://oglobo.globo.com/ciencia/uma-mulher-lider-no-reino-dos-homens-9270453#ixzz2bDMTe2gy 
© 1996 - 2013. Todos direitos reservados a Infoglobo Comunicação e Participações S.A. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização. 

Profissionais da educação de MT entram em greve por tempo indeterminado


Os profissionais da educação da rede estadual de ensino de Mato Grosso iniciam greve por tempo indeterminado a partir de segunda-feira (12). A paralisação foi deliberada em assembleia geral realizada hoje (5) na Escola Estadual Presidente Médici em Cuiabá. A categoria exige que o governo apresente proposta concreta sobre as reivindicações, entre elas, a dobra do poder de compra do salário dos trabalhadores em um prazo de 7 anos.

Após 3 horas de discussões e avaliações sobre a pauta de reivindicações dos educadores em Mato Grosso, os profissionais aprovaram com grande maioria o início da greve geral. Cerca de 2 mil trabalhadores da educação, entre professores, técnicos e apoios administrativos participaram da assembleia geral.


Noventa municípios estiveram representados na instância de deliberação. Caravanas do interior chegaram à Escola Presidente Médici e lotaram o ginásio, o que demonstrou inicialmente a insatisfação da categoria.

http://www.sintep.org.br/site_novo/Noticias/NoticiaVisualizar.aspx?id=2591

Mais recursos para a Educação tá cheirando a Pizza

Depois de cerca de três horas de reunião com a presidente da República, Dilma Rousseff, os líderes da base decidiram na noite desta segunda-feira (5) adiar para a próxima semana a análise do projeto que destina para educação e saúde os royalties de exploração do petróleo (PL 323/07). O projeto voltará a ser discutido entre os líderes e a presidente na próxima segunda-feira (12).
No mês passado, os deputados decidiram suspender a decisão sobre o texto, porque não houve consenso entre os líderes dos partidos da base aliada. O projeto dos royalties é o primeiro item da pauta de votações do plenário nesta semana e tranca a pauta de votações, impedindo a análise de outros projetos. O principal ponto de disputa sobre o texto diz respeito à aplicação dos recursos do Fundo Social do pré-sal. 
O governo defende a aplicação, em educação e saúde, de 50% dos rendimentos do fundo, prevista na redação do Senado; enquanto grande parte dos deputados defende o texto da Câmara, que determina o investimento de 50% do total do fundo em educação, para cumprir as metas do PNE (Plano Nacional de Educação), e em saúde, na forma do regulamento.
http://educacao.uol.com.br/noticias/2013/08/06/lideres-decidem-adiar-votacao-sobre-royalties-para-a-proxima-semana.htm

Showmen: professores ficam famosos com aulas no YouTube

Mal passou pela cabeça do professor paulista Paulo Jubilut, de 33 anos, que uma demissão inesperada pudesse lhe render tantos frutos. Depois de 12 anos dando aulas de Biologia, foi demitido numa escola de elite de Curitiba no final de 2011. Mesmo sendo natural de Santos, Jubilut desenvolveu parte da carreira na Região Sul.
Cada um dos vídeos mais populares de Ivys não tem menos do que 15 mil visualizações
"Ia desistir de dar aulas. Por isso resolvi aproveitar todo o meu conhecimento, gravá-las e disponibilizá-las como se fosse o meu legado", fala Jubilut.
A decisão, no entanto, acabou lhe trazendo uma grata surpresa. "Assim que me mudei para Florianópolis, em maio de 2012, recebi uma mensagem do YouTube me informando da popularização dos vídeos e de que poderia ganhar dinheiro com eles", lembra.
Foi então que surgiu a ideia de desistir de um emprego formal e partir para a produção de mais conteúdo online. "Estava prestes a abrir uma casa de sucos. Depois da aceitação do material na rede, decidi me dedicar 100% nas videoaulas", diz Jubilut.
leia mais:
http://www.estadao.com.br/noticias/vidae,showmen-professores-ficam-famosos-com-aulas-no-youtube,1058884,0.htm

Piso salarial de professores da educação básica para 2020: R$ 2.886,24

Dyelle Menezes, do Portal MEC O piso salarial dos profissionais da rede pública da educação básica em início de carreira foi reajustado...