quinta-feira, 30 de outubro de 2014

Rayanni Freire: Jovem de 11 anos cria blog dedicado aos livros e já escreve próprios poemas

Da Redação - Stéfanie Medeiros

Foto: Stéfanie Medeiros/ Olhar Conceito
O cenário é a Casa Barão de Melgaço em um lançamento de livro. O salão principal estava cheio de pessoas conversando sobre livros, autores, poesia e produção literária no geral. Rayanni Freire, vestidos rosa, cabelo encaracolado e olhos brilhando, escutava tudo com atenção. Mas mais que isto: participava das conversas, fazia perguntas e aos poucos inseria-se em um mundo que era muito seu.

Leia mais: Secretaria de Educação prepara programação especial para o Dia Nacional do Livro

Era seu porque, além de ser apaixonada por livros, Rayanni, com apenas 11 anos de idade, já escreve seus próprios poemas. “Acho que tudo começou com a leitura, ela me transformou com certeza. Lendo um livro você consegue conversar melhor, escrever melhor e adquirir outros conhecimentos”, disse a jovem. Para celebrar o Dia Nacional do Livro, comemorado nesta quarta-feira (29), o Olhar Conceito foi até a casa de Rayanni para contar um pouco de sua história.

Por conta de seu amor por livros, Rayanni criou em julho deste ano o blog “Apaixonada por Livros” (CliqueAQUI). Neste espaço, a ávida leitora compartilha suas impressões sobre os livros que gostou, sobre os eventos dos quais participou (incluindo as olimpíadas nacionais de matemática), dentre outras atividades. Mas escrever sobre a obra de outras pessoas não pareceu suficiente para Rayanni. Por isto, ela escreveu seu próprio poema sobre o que os livros significam em sua vida. Confira:



Amor incondicional(Rayanni Freire)

Sonhar, imaginar e acreditar,
Se torna o fim após o meu livro acabar.
Amar, chorar, odiar total,
Já não é mais nada depois do final!

Vê-lo na estante parado,
Mesmo estando com outro, ele está do meu lado.
Querendo ou não acabou,
Você já riu, amou e por fim chorou!

A vez de outro é agora,
Por um lado é bom, mas pelo o outro o coração chora.
Agora só basta guardar as lembranças no peito,
Pois novas oportunidade chegaram pelo jeito!

Apesar de sabermos que o fim sempre está perto,
Preferimos deixar o futuro quieto .
As memórias prendem e não saem,
Mesmo quando sorrio ou as lágrimas do rosto caem!

A história já virou parte da minha vida,
E pode ter certeza de que ela é bem comprida.
E é claro tem um final feliz,
Eu e meus livros como sempre quis!

A história de Rayanni com os livros começou bem cedo. Quando era um bebê, sua mãe, Rubiani Alves, matriculou a filha no maternal. “Mas ela não se adaptou de forma alguma. Enquanto as outras crianças queria pintar, brincar e fazer atividades lúdicas, Rayanni queria porque queria aprender a ler e escrever. A professora que a acompanhou fez a transferência para o jardim, onde começou a ser alfabetizada”, contou Rubiani.

Para estimular a filha a ler, Rubiani tentou inserir os livros no cotidiano de Rayanni desde quando ela era um bebê. “Eu comprava aqueles livros que flutuam na banheira para ela ficar brincando. Quando eu ainda fazia direito e tinha que estudar, organizava os livros não só para mim, mas para Rayanni também. Então mesmo que ela ainda não lesse, os livros já faziam parte do dia a dia dela”, contou Rubiani.

Aos cinco anos de idade, Rayanni já estava lendo. Ela contou ao Olhar Conceito que o primeiro livro que a marcou foi “O pequeno príncipe”, de Antoine de Saint-Exupéry, obra que Rayanni lê pelo menos uma vez todos os anos. “Eu gosto deste livro porque toda vez que a gente lê, encontra novos significados e percebe coisas novas. Ele diz tanto de forma tão simples. Acho incrível”.



Através da leitura, Rayanni encheu-se de energia criativa. Tanto que escrever já não bastava. A jovem poetisa também toca piano (tocou a música tema de Romeu e Julieta para a reportagem do Olhar Conceito), pinta, desenha e toca violão.

Apesar de ainda ser muito cedo, Rayanni acha que irá fazer faculdade de arquitetura. “O engraçado é que, além de gostar de ler e escrever, Rayanni também adora matemática”, disse a mãe da jovem. “Mas independente do que eu vá fazer, escrever é algo que eu sempre vou ter comigo”, completou a própria Rayanni.

Sobre o Dia Nacional do Livro, Rayanni tem uma mensagem para todos os leitores, principalmente os que ainda não desenvolveram o gosto pela leitura: “A leitura é importante. Leia qualquer coisa, mesmo que seja uma revista. Não importa o que as outras pessoas falam do que você gosta de ler, se você experimentar, pode descobrir mundos novos e adquirir novos conhecimentos”.

Mais um poema de Rayanni Freire:

Defeitos Humanos
Problemas? Ah isso todo mundo tem,
Respeito? É o que falta para o bem.
Arrogância? Isso tem de sobra,
Amor? Escondido como a cobra!

Um dos maiores problemas que nós temos,
É reclamar toda hora, todo dia de tudo.
E aquele que não tem nada,
Porque não reclama a cada segundo?

Sabe o que falta no nosso peito?
Mais amor, educação e uma pitada de respeito.
Se cada coração fosse assim,
Onde estaria à tristeza enfim?

Esqueça seus problemas e vai logo se divertir,
Pois nós queremos ver apenas você sorrir.
Nunca diga para Deus que você tem um grande problema,
Diga para seu problema que você tem um grande Deus!

Ver alguém triste não vale a pena,
O melhor é vê-lo feliz, lindo como um poema.
Eu sou feliz pelo que faço e fiz,
Tenho uma vida alegre sempre dizendo "x"!


http://www.olhardireto.com.br/conceito/noticias/exibir.asp?noticia=Rayanni_Freire_Jovem_de_11_anos_cria_blog_dedicado_aos_livros_e_ja_escreve_proprios_poemas&id=5981

Calendário de atividades de reformulação da Lei da Gestão Democrática - Cuiabá


Acesse a Minuta da Lei 

EMEB Dr. Fábio é vencedora de Concurso de Redação

A Prefeitura de Cuiabá vai entregar no próximo dia 12 de novembro, os prêmios aos vencedores do 1º Concurso de Redação e Desenho sobre Transparência Pública. O concurso foi desenvolvido pela Controladoria-Geral do Município e teve como tema ‘Acesso à informação: um direito de todos’.
Segundo o controlador-geral, Marcelo Bussiki, o objetivo do concurso foi o de difundir a Lei de Aceso à Informação Pública.
Os vencedores do concurso nas duas categorias serão divulgados na próxima segunda-feira (03). Na categoria Desenho foram premiados alunos do 1º ao 5º ano. Na categoria Redação, participaram estudantes do 6º ao 9º ano. Ao todo 13 estudantes foram premiados, sendo 8 em primeiro lugar, que receberão um tablet, e os 5 segundos colocados receberão um Playstation 2.
Os professores que orientaram os trabalhos dos primeiros colocados receberão um DVD portátil. A escola cidadã vencedora foi a Dr. Fábio Firmino Leite, localizada no bairro Doutor Fábio, região do Grande CPA. Ela receberá uma lousa digital, 5 tablets e um day use no Sesi Park.

Embora aberto a escolas públicas e privadas, nesta primeira edição participaram apenas estudantes de escolas municipais. Todas as escolas da rede municipal foram visitadas por servidores da Controladoria para divulgar o concurso, lançado em maio, durante a 1ª Semana Municipal de Transparência Pública.

http://www.cuiaba.mt.gov.br/controladoria/prefeitura-premia-vencedores-dos-concursos-de-desenho-e-redacao/9780

Acesse Minuta da (reformulação) Lei de Gestão Democrática

Rosane Brandão
Secom Cuiabá
Clique na figura para acessar a Minuta

A Secretaria Municipal de Educação apresentou aos diretores de creches e escolas a Minuta da Lei de Gestão Democrática do sistema educacional de Cuiabá.
A Lei de Gestão Democrática tem por finalidade a efetivação de processos de organização e gestão, baseados em dinâmicas que promovam as decisões coletivas.
A Gestão Democrática norteará todas as ações de planejamento, elaboração, organização, execução e avaliação das políticas educacionais, entre elas a elaboração do Plano Municipal de Educação, elaboração de regimentos escolares, eleição de diretores, escolha de coordenadores pedagógicos e secretários escolares.
Conforme a secretária-adjunta de Educação, Marioneide Kliemaschewsk, após a apresentação da minuta para os gestores, ela será discutida e analisada em assembleia realizada com os diferentes segmentos da educação nas unidades de ensino, entre eles pais, alunos e profissionais da educação.
“Eles apresentarão sugestões, por meio de emendas aditivas, supressivas e substitutivas, para a reformulação da lei. Dessa forma, estarão exercendo de fato a gestão democrática nas unidades de ensino da rede municipal”, disse a secretária-adjunta.
Além de debater a proposta em assembleia, os participantes vão eleger os delegados para a Conferência Municipal de Gestão Democrática, a ser realizado nos dias 27 e 28 de novembro. Após finalização, o documento segue para a Câmara Municipal de Cuiabá para aprovação.
A minuta de lei foi elaborada por uma comissão, formada por representantes das escolas e creches municipais, Sindicato dos Trabalhadores do Ensino Público (Sintep) Subsede Cuiabá, Conselho Municipal de Educação e Secretaria de Educação de Cuiabá.

Acesse a Minuta (Word) ou clique na figura acima


http://www.cuiaba.mt.gov.br/educacao/comunidade-escolar-participa-da-elaboracao-da-lei-de-gestao-democratica/9758

Secretarias devem informar necessidade de formação de professores

As secretarias estaduais e municipais de educação e os institutos federais de educação, ciência e tecnologia das cinco regiões do país têm prazo até 21 de novembro para informar na Plataforma Freire quantos professores das suas redes precisam cursar uma licenciatura ou pedagogia. É com base nessa informação que a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), junto com as universidades e os fóruns de educação, define as vagas do Plano Nacional de Formação de Professores da Educação Básica (Parfor) para 2015. A inscrição dos professores será de 20 de janeiro a 13 de março do próximo ano.

O plano de formação, lançado em 2009, abre turmas especiais em cursos de licenciatura e programas de segunda licenciatura, na modalidade presencial, exclusivas para educadores das redes públicas que não possuem formação superior na área onde atuam, conforme exigência da Lei de Diretrizes e Bases da Educação (LDB).

Essas turmas são abertas mediante a convergência de três fatores: as secretarias estaduais, municipais e do Distrito Federal e os institutos federais informam o número de vagas de que suas redes precisam; as instituições de ensino superior, que participam do Parfor, definem e informam a oferta de cursos e de vagas, e os educadores fazem a pré-inscrição na licenciatura que pretendem cursar. Todo o processo é realizado na Plataforma Freire.

Critérios – Para ocupar as vagas da primeira licenciatura, o professor precisa atender requisitos descritos no Parfor: estar vinculado a uma rede pública estadual, municipal ou do Distrito Federal; no exercício da atividade do magistério; não ter curso de licenciatura. A carga horária mínima é de 2.800 horas, das quais 400 horas de estágio supervisionado. A duração do curso é de quatro anos.

Já o educador com graduação em área diferente daquela em que leciona precisa estar há pelo menos três anos na rede pública, para fazer a segunda licenciatura. Esse curso tem carga horária de 800 horas a 1.400 horas e duração entre dois anos e dois anos e meio. O Parfor também oferece formação pedagógica para docentes graduados ou licenciados das redes públicas. Essa formação complementar é de 540 horas, ministrada durante um ano.

Os cursos são gratuitos para todos os professores, mas a Capes repassa recursos financeiros para as instituições de ensino superior responsáveis pela formação, supervisão de estágios e certificação dos concluintes. É tarefa das secretarias de educação oferecer aos cursistas material escolar, transporte, hospedagem e alimentação durante o curso.

Resultados – De maio de 2009, quando foi criado, a dezembro de 2012, o Parfor colocou em salas de aula 54,8 mil professores em turmas especiais, segundo balanço publicado pela Capes. No período, foram implantadas 1.920 turmas em 397 municípios. Professores das regiões Norte e Nordeste foram os que mais procuraram formação. Até 2012, o Parfor atendeu 28.073 educadores da região Norte e 20.781 do Nordeste. Na sequência, aparecem a região Sul (3.422 professores), o Sudeste (1.847) e o Centro-Oeste (753).

O Plano Nacional de Formação de Professores da Educação Básica integra um conjunto de políticas públicas do governo federal em parceria com estados, municípios e instituições de ensino superior para transformar o magistério. Estão neste grupo de políticas o Piso Nacional do Magistério, instituído em julho de 2008; os cursos de mestrado profissional para educadores das redes públicas; o Programa Institucional de Bolsa de Iniciação á Docência (Pibid), que visa o aperfeiçoamento e a valorização da formação de professores; o Programa de Consolidação das Licenciaturas (Prodocência), que fomenta a inovação, a elevação da qualidade dos cursos do magistério e a valorização da carreira do professor. 

Ionice Lorenzoni

Acesse a Plataforma Freire

http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_content&view=article&id=20869

Piso salarial de professores da educação básica para 2020: R$ 2.886,24

Dyelle Menezes, do Portal MEC O piso salarial dos profissionais da rede pública da educação básica em início de carreira foi reajustado...